(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2021 - Concurso de Fotografia

Valor do pescado transaccionado em lota ultrapassa valor pré-pandémico de 2019

Valor do pescado transaccionado em lota ultrapassa valor pré-pandémico de 2019

Decorreu hoje, dia 16 de Julho, a cerimónia de assinatura, pela Docapesca S.A, do contrato de empreitada de construção do edifício de apoio à trasfega de Pescado do Cerco do Porto de Pesca de Sines, investimento que visa dotar o Porto de Sines de um «importante equipamento para a actividade» piscatória, representando um investimento de 1.200.000 euros.

O momento contou com intervenção da Secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho. No seguimento da mesma, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve disponibilizou dados sobre o valor do pescado transaccionado em lota, que atingiu os 104,4 milhões de euros no primeiro semestre de 2021, ultrapassando, portanto, o valor pré-pandémico de 2019 em 5,3%. O preço médio do pescado registou, igualmente, um crescimento de 16,8%.

Um dos objectivos do Ministério do Mar é valorizar o pescado dos profissionais do sector da pesca, com o objectivo de reforçar os seus rendimentos. Nesse sentido, a Secretaria de Estado das Pescas informa que «foram desenvolvidos todos os esforços, em estreita articulação com o sector, para manter a cadeia de abastecimento em pleno funcionamento durante o período pandémico que o país ainda atravessa».

Os resultados desta cooperação efectuada entre o Ministério do Mar e o sector das pescas é agora quantificável com os números da Docapesca S.A. referentes ao primeiro semestre de 2021, que apresentam um aumento do valor do pescado, totalizando 104,4 milhões de euros – um crescimento de 23% em comparação com os 84,8 milhões do período homólogo.

A quantidade de pescado transaccionado também subiu, passando de 33 mil toneladas, em 2020, para 37,1 mil toneladas, em 2021, o que corresponde a um aumento de 12,7%. Consequentemente, daí resultou também um aumento global do preço médio de 9,2% para 2,81€/kg, o que reflecte o contínuo investimento nas melhorias das condições para reforçar a qualidade e o preço do pescado na primeira venda.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos