(Z1) 2024 - CM de Aljezur - Aljezur Sempre
(Z4) 2024 - CM Lagos - Arte Doce

Dieta mediterrânica continua a ser prioridade no próximo quadro comunitário 2030

Dieta mediterrânica continua a ser prioridade no próximo quadro comunitário 2030

A Região do Algarve é o rosto da promoção da Dieta Mediterrânica em Portugal e foi corresponsável pela candidatura à UNESCO, que inscreveu este modo de vida e modelo de alimentação, em 2013, na lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade, tendo em 2018 sido realizada a primeira Assembleia Geral do Centro de Competências para a Dieta Mediterrânica (CCDM), um fórum de âmbito nacional de pesquisa, partilha e articulação de conhecimentos sobre aquela temática, que congrega agentes de investigação e inovação, formação, capacitação, divulgação e transferência de conhecimento, com agentes económicos e organismos da administração pública, potenciando a respetiva cooperação, a nível nacional e internacional.

Desde então são vários os projectos no âmbito da promoção da Dieta Mediterrânica, cuja adopção está cientificamente relacionada com a diminuição de patologias de vários foros, mas particularmente da área cardiovascular, uma das principais causas de morte em Portugal e no Mundo. A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve e o Município de Tavira não hesitam: no próximo Quadro Comunitário de Apoio a promoção da Dieta Mediterrânica continuará a ser prioritária.

No próximo dia 8 de Setembro, alguns dos maiores especialistas da área da nutrição e da saúde vão reunir-se em Tavira para, de forma transversal, analisar o impacto dos vários projetos levados a cabo, nos últimos anos, com vista à promoção da adopção da Dieta Mediterrânica e à partilha de contributos para aqueles que serão os próximos passos e que, com toda a certeza, irão ser reflectidos no próximo quadro comunitário de Apoio Portugal 2030.

Para José Apolinário, Presidente da CCDR Algarve, é claro que tendo sido a Região do Algarve uma das principais promotoras da elevação da Dieta Mediterrânica a Património Cultural Imaterial da Humanidade e “surgindo, a cada dia, evidências científicas dos benefícios da adoção desta dieta em termos de qualidade de vida e de saúde, continuaremos, no âmbito dos fundos comunitários que geridos na Região, a apoiar a promoção da Dieta Mediterrânica, que, paralelamente, assume um papel diferenciador e promotor do Algarve, com tudo o que isso traz de valor à economia e à coesão social da Região”, afirma.

Já Pedro Valadas Monteiro, Director da DRAP Algarve, enfatiza o importante papel que o recentemente constituído Polo de Inovação de Tavira, instalado no Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) poderá vir a desempenhar “enquanto centro de referência nacional da Dieta Mediterrânica, congregando múltiplos atores, públicos e privados, com ligações a esta temática nas suas várias dimensões, a saber, alimentação sustentável, recursos endógenos e sistemas alimentares locais, património histórico-cultural e paisagem, dimensões fundamentais nas novas políticas de promoção activa da saúde e bem-estar, capaz de gerar sinergias, multiplicando e acrescentando valor a projectos e iniciativas individuais através do networking”.

Assim, no âmbito do que tem sido o modelo de atuação da CCDR Algarve, que passa por trabalhar em rede com as várias entidades setoriais e com os Municípios, ouvindo os principais agentes neles envolvidos, avaliando os estudos de impacto e pedindo os contributos dos principais especialistas de cada uma das áreas prioritárias * - a sessão marcada para o próximo dia 8 de Setembro é, para a CCDR Algarve, um evento para reforçar a consolidação da Salvaguarda da Dieta Mediterrânica.

A importância de continuar a apostar na dieta mediterrânica

Pedro Graça, entre outros, ex-director do Programa Nacional de Promoção da Alimentação Saudável da Direcção-Geral da Saúde e actual Presidente da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, vai estar presente na sessão de Tavira e a sua intervenção vai incidir sobre os “5 Desafios para Proteger a Saúde da Dieta Mediterrânica”.

Defensor acérrimo deste modelo de alimentação, Pedro Graça foi co-autor, em 2018, do Manifesto pela Preservação da Dieta Mediterrânica, no qual, entre outros, defende que “a preservação da Dieta Mediterrânica (DM) implica a participação transnacional dos Governos, dos sectores da cultura, agricultura e saúde, e dos cidadãos, de forma a preservar a diversidade cultural, a biodiversidade, proteger a capacidade produtiva e regenerativa dos solos e a saúde das populações. Apesar deste consenso, temos de ir mais além e identificar os setores e áreas de intervenção onde podemos fazer a diferença. Este é um contributo para a necessária discussão”.

Neste documento, Pedro Graça defende ainda que “as alterações climáticas, com o aumento das temperaturas médias, redução da pluviosidade, a demografia e desertificação, colocarão o acesso à água, a produção alimentar e o relacionamento humano sob grande pressão. A DM é reconhecidamente um modo de consumir protetor do meio ambiente. Através do consumo alimentar mais consciente poderemos fazer a diferença no planeta. A preservação da DM representa hoje um modo de preservação do planeta onde o setor do ambiente terá uma palavra central”.

Por último, mas não menos importante, Pedro Graça lembra que a Dieta Mediterrânica é reconhecidamente promotora da saúde, não só pelos alimentos que incorpora (azeite, cereais, leguminosas, fruta…), pela forma como os prepara, “mas principalmente pela frugalidade. Frugalidade significa comer em função das necessidades energéticas e comer em qualidade e não em quantidade. Só assim se evitam doenças como a obesidade ou a diabetes. A preservação da DM passa por valorizar a comida de qualidade”.

Para além de Pedro Graça, vão intervir na sessão outros especialistas de renome e com reconhecido trabalho realizado na área da nutrição e da saúde e muito particularmente na defesa da Dieta Mediterrânica, como sejam a Professora Sandra Pais, da Universidade do Algarve e do ABC- Algarve Medical Center, o Dr. João Coucello da Fundação Portuguesa de Cardiologia, a Professora Maria Palma Mateus, da Universidade do Algarve, e a Drª Teresa Sancho, da Administração Regional de Saúde do Algarve.

Legenda da Imagem:

1. Programa da Sessão dedicada a Preservação da Dieta Mediterrânica, que integra o programa oficial da VIII Feira da Dieta Mediterrânica, promovida pelo Município de Tavira, a qual decorrerá de 8 a 11 de Setembro de 2022.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos