(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2022 - Projecto Águas Sem Fronteiras

PSD Algarve diz que Partido Socialista nada é capaz de fazer pelos algarvios!

PSD Algarve diz que Partido Socialista nada é capaz de fazer pelos algarvios!

Em nota de imprensa emitida pelo PSD Algarve, foi noticiado que teve lugar no dia 21 de Dezembro, a Assembleia Intermunicipal do Algarve em Lagoa.

Na ocasião, os eleitos pelo PSD apresentaram uma moção intitulada por uma legislatura ganha, na qual instavam os partidos nas próximas eleições a firmarem compromissos claros perante a região que permitissem abrir uma nova era e resolver muitos dos estrangulamentos de que a mesma sofre. A moção em causa postulava a necessidade imperiosa do Hospital Central do Algarve, do investimento na ferrovia, nos portos de Faro e Portimão, bem como nas soluções que tardam para a água, entre outras matérias que, “a nosso ver, merecem apoio dos algarvios e promessas incumpridas do Governo.”

O PSD acrescenta que “a moção em causa foi chumbada pelo PS, facto que é bem revelador do branqueamento da inacção do Governo em relação a um conjunto de matérias fulcrais para a região e que demonstra uma vez mais que a hegemonia que o PS ostenta na região não é posta ao serviço dos algarvios.”

O comunicado social-democrata termina, Informando também que decorreram eleições na bancada do PSD a qual será liderada por Carlos Gouveia Martins e terá como vice-presidente Carlos Quintino e secretária Muriel Dias.

.

MOÇÃO

Por uma Legislatura Ganha.

Às portas do ato eleitoral de janeiro se 2022, augura-se o início de uma nova legislatura que ofereça ao Algarve o cumprimento das promessas adiadas nas anteriores duas legislaturas. Os algarvios têm assistido a manobras de ilusionismo que fazem esfumar compromissos inadiáveis, mas que continuam no limbo.

Na saúde, 83.360 algarvios continuam sem médico de família atribuído à data de novembro passado, segundo o fidedigno Portal da Transparência do SNS. O Hospital Central do Algarve, continua enterrado em alguma gaveta do atual Governo, depois de ostensivamente esse mesmo Governo ter feito tábua rasa do estudo coordenado por Daniel Bessa que colocava este importantíssimo equipamento em 2ª prioridade nacional e optado por construir outros cinco hospitais país fora.

A ferrovia continua sem ser modernizada, metade do Algarve é elétrico e outra metade é poluidor… A linha passa ao largo do aeroporto e parece que ninguém percebe que o óbvio: Tem que de lá parar e tem de haver intermodalidade. A linha ferroviária do nosso Algarve vê Espanha, mas tem medo de atravessar o Guadiana e ligar-nos à Europa.

Ao mesmo tempo que o Governo viola a Lei aprovada pela Assembleia da República e faz malabarismos para não baixar as portagens da A22, a EN 125 não tem obra, degrada-se e vê morrer cidadãos enquanto os prazos e as burocracias servem de pretexto para não se gastar um cêntimo na sua requalificação.

O PRR prevê investimento para a água. Para acudir quando? Não há estratégia, não há ação para garantir o abastecimento ao consumo e para apoiar a crescente redinamização da agricultura – tão indispensável para a diversificação da economia regional.

A mesma diversificação da nossa base produtiva, com a qual todos concordam em discurso, mas que apenas ocorre pela tenacidade da iniciativa privada que continua à espera – há mais de um ano – do prometido Plano específico para o Algarve, o “tal Plano” que vem acudir ao afundamento a que a pandemia nos levou por muito dependermos do turismo. Onde está esse Plano?

A única região do país que tem duas costas banhadas por diferentes mares não tem uma autoridade própria para gerir a sua atividade portuária. Subjugados a Sines, os portos do Algarve definham, sem estratégia, sem investimento e sem rumo. Na área comercial, novamente, o óbvio seria termos portas abertas ao efervescente mercado de cruzeiros – fundamental, por exemplo, aqui ao lado em Málaga ou Cádiz e também na Madeira. Deveríamos ter ligações regulares em ferryboat, trans-regionais (Madeira, Lisboa, Porto?) e trans-nacionais (Espanha, Marrocos, Canárias?).

Nas pescas, a desordem e a confusão reinam, sendo o mais recente episódio das licenças de pesca apenas um exemplo da incompetência.

Não queremos mais uma legislatura perdida.

Assim, os membros da Assembleia Intermunicipal do Algarve, reunidos a 21/12/2021 em Lagoa deliberam:

- Instar todos os partidos candidatos às próximas eleições legislativas a comprometerem-se com uma agenda de desenvolvimento para o Algarve, garantido a disponibilidade para resolver aqueles e outros pontos, viabilizando os instrumentos legais para o Governo que das eleições resultar os possa executar.

Pela Bancada Intermunicipal do PSD/Algarve

Lagoa, 21 de dezembro de 2021

  • PARTILHAR   

Outros Artigos