(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2022 - Projecto Águas Sem Fronteiras

Promoção dos jogos tradicionais portugueses no concelho de Lagos foi aprovada

Promoção dos jogos tradicionais portugueses no concelho de Lagos foi aprovada

Na reunião da Câmara Municipal de Lagos, realizada no passado dia 1 de Junho de 2022 a vereadora da CDU, Luísa Teixeira, apresentou uma proposta para a promoção dos jogos tradicionais portugueses no concelho de Lagos. A proposta foi aprovada por unanimidade e referia o seguinte:

Os jogos tradicionais portugueses traduzem a história e a cultura do nosso país. Representam uma parte relevante da memória e identidade nacionais, enquanto agentes de cariz intergeracional, constituindo, por isso, um valioso património cultural que necessita de ser preservado e promovido junto das novas gerações.

Esta realidade lúdica e social significa o bem-estar e o lazer associados à saúde física e mental. Interagindo com a ética e o respeito pelo próprio e pelos outros, viabiliza o desiderato da inclusão social no processo de socialização de pessoas com ou sem deficiência.

De acordo com o Instituto de Apoio à Criança, brincar é uma necessidade vital para a criança, sendo o jogo o seu meio privilegiado de expressão. O jogo está associado ao desenvolvimento psicológico da criança e à sua construção intelectual, apelando ao seu crescimento sensorial, motor, afectivo e intelectual.

Quanto mais diversificadas forem as actividades lúdicas da criança, tanto maior será o êxito nos seus trabalhos escolares e nas suas relações com os outros, incluindo a família e a comunidade escolar.

Asfixiar a tendência de lazer da criança contribui para o aparecimento de estados patológicos indesejáveis e perniciosos, enquanto a actividade lúdica desenvolve a criatividade e favorece a concepção de ideias e a livre associação de pensamentos.

O jogo tem ainda um papel preponderante na destreza física e mental e na formação do psiquismo infantil. Assim, considerando que pedagogos e psicólogos avaliaram as virtudes socializantes do jogo no reforço dos laços de cooperação;

Que brincar é descobrir, de uma forma harmoniosa, o relacionamento da criança consigo própria, com os outros e com o meio, potenciando a integração social;

Que o papel dos jogos na educação, no universo escolar e fora dele é fundamental;

Que pertence à escola e à comunidade escolar formar as crianças para a utilização e escolha dos brinquedos mais adequados, concebidos não somente como auxiliares pedagógicos, mas com a função do prazer, de rir, criar e inventar;

Que, em suma, as experiências do brincar na escola contribuem para o fortalecimento de vínculos afectivos, sociais e de camaradagem; Considerando ainda que a Convenção dos Direitos da Criança reconhece à criança, no seu art. 31.º, “o direito ao repouso e aos tempos livres, o direito de participar em jogos e actividades recreativas próprias da sua idade e de participar livremente na vida cultural e artística em condições de igualdade”;

Considerando a International Play Association que brincar, a par da satisfação das necessidades básicas de nutrição, saúde, habitação ou educação, para além do amor e do afecto, é uma actividade fundamental para o desenvolvimento de todas as crianças;

Considerando que a Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto e a Federação Portuguesa dos Jogos Tradicionais recensearam jogos em vias de extinção ou extintos, tendo, de seguida, organizado uma exposição pública com mais de uma centena desses jogos, descrevendo a sua composição, técnicas e práticas;

Considerando que já em 1994 este tema dos JOGOS TRADICIONAIS mereceu a atenção da Delegação de Faro do Instituto Português da Juventude, Universidade do Algarve (Escola Superior de Educação) e do Instituto do Desporto da Região do Algarve, com a promoção conjunta do 1.º Encontro de Jogos Tradicionais do Algarve, que teve lugar em Faro;

Considerando que a Câmara Municipal de Lagos executou, através do Sector do Desporto, um levantamento técnico analítico contendo a descrição dos Jogos Tradicionais Portugueses, suas denominações, tipologias e características psico/sociais e desportivas, visando a sua implementação nas Escolas do 1º. Ciclo do Ensino Básico do Concelho:

Considerando que nas actividades lúdicas e de ocupação de tempos livres ”há vida” para além dos jogos denominados eletrónicos.

A Câmara Municipal de Lagos, reunida em 1 de Junho de 2022, deliberou:

1 - Reconhecer as vantagens cívicas, sociais e familiares que os Jogos Tradicionais propiciam, numa perspectival e dimensões cultural, educativa, desportiva, lúdica e de integração social.

2 - Considere o benefício destes jogos para projectos futuros ligados ao licenciamento urbanístico, a zonas de lazer e a programas do desporto escolar.

3 - Estabeleça acordos de parceria tendentes à promoção dos jogos tradicionais portugueses, designadamente, com a Federação Portuguesa dos Jogos Tradicionais.

4 - Dinamize, junto das crianças e jovens do município de Lagos, em colaboração com os Agrupamentos Escolares de Lagos, Juntas de Freguesia, e movimento associativo local actividades lúdicas e desportivas com base nos jogos tradicionais portugueses.

5 - Proceda à edição duma brochura contendo o atrás referido estudo sobre os Jogos Tradicionais Portugueses efectuado pelo Sector do Desporto, para efeitos da sua divulgação junto da comunidade escolar, movimento associativo e público em geral do Concelho.

6 - Estabeleça os necessários contatos com a Federação Portuguesa dos Jogos Tradicionais, para efeitos de trazer a Lagos a exposição que organizou desses jogos, descrevendo a sua composição, técnicas e práticas.

7 - Enviar a presente deliberação às, Juntas de Freguesias, Agrupamentos Escolares, Movimento Associativo Associações de Pais, Federação Portuguesa dos Jogos Tradicionais, Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto e aos órgãos de comunicação social.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos