(Z1) 2022 - CM de Vila do Bispo - Birdwatching

Assildo Duarte, de Vila do Bispo, ao ‘CL’: “Estamos fechados e só iremos reabrir quando deixar de ser obrigatório apresentar testes à Covid-19. Vamos ter um prejuízo de 15.000”

Assildo Duarte, de Vila do Bispo, ao ‘CL’: “Estamos fechados e só iremos reabrir quando deixar de ser obrigatório apresentar testes à Covid-19. Vamos ter um prejuízo de 15.000”

O empresário, que assegura os postos de trabalho e outros encargos, afirma que “aquilo que se ganhou no Verão é para perder no Inverno”. E aproveita para fazer obras de ampliação no estabelecimento.

“Estamos fechados e só iremos reabrir quando deixar de ser obrigatório apresentar testes à Covid-19. Vamos ter um prejuízo de 15.000 euros por mês com esta nova situação da pandemia”. Quem o diz, em declarações ao Correio de Lagos, é o empresário Assildo Duarte, proprietário do Restaurante ‘Atlântico’, situado na localidade da Salema, no concelho de Vila do Bispo, não escondendo a sua indignação com a obrigatoriedade de as pessoas fazerem testes ao novo coronavírus, sendo necessário o resultado negativo, para terem acesso a determinados locais, nomeadamente a estabelecimentos da restauração, pelo menos durante esta fase de contenção até ao dia 9 de Janeiro de 2022, determinada pelo Governo.

.

“Muitos restaurantes acabam por encerrar nesta altura”

.

“Para entrar num restaurante, os clientes já tinham de mostrar o certificado da vacina contra a Covid-19, o que o faziam através do telemóvel. Até aí, ainda se compreende. Agora, terem também de realizar testes à pandemia para irem comer fora…? O que acontece é que muitos restaurantes acabam por encerrar nesta altura por falta de condições para responder a esta exigência”, observa Assildo Duarte.

No seu estabelecimento, este empresário conta com oito trabalhadores, alguns deles estrangeiros. “Tenho um empregado de nacionalidade indiana e outro cabo-verdiano. Vão fazer testes à Covid-19 a clientes portugueses, ou exigir-lhes o documento em como não contraíram o vírus? Não existem condições e por isso decidimos fechar o restaurante nesta altura, mantendo os postos de trabalho”, sublinha.

.

“Aquilo que se ganhou no Verão é para perder no Inverno. Ninguém sabe quando é que esta situação de obrigatoriedade de testes irá acabar”

.

E acrescenta: “Sem receitas, vou ter um prejuízo de 15.000 euros por mês para garantir os salários, o pagamento à Segurança Social, da eletricidade e da água. Aquilo que se ganhou no Verão é para perder no Inverno. Ninguém sabe quando é que esta situação de obrigatoriedade de testes irá acabar, o que vai acontecer depois do dia 9 de Janeiro de 2022 e por isso também não sabemos quando iremos reabrir”. Entretanto, Assildo Duarte aproveita para levar a efeito obras de ampliação no seu restaurante.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos