(Z1) 2024 - CM de Vila do Bispo - Festival do Perceve
(Z4) 2024 - CM Lagos - Agenda de Eventos

Conferência sobre Mercado de Trabalho já tem conclusões

Conferência sobre Mercado de Trabalho já tem conclusões

Decorreu a 20 de Abril a  conferência AHRESP Mercado de Trabalho: Que profissionais teremos amanhã? no Salão Nobre da Alfândega do Porto. Empresas, especialistas, decisores, mas também estudantes e futuros trabalhadores juntaram-se para debater temas como Práticas no Mercado de Trabalho europeu; Como Actrair e Reter Profissionais; ou os Condicionalismos na Contratacção. As conclusões finais desta conferência sobre Mercado de Trabalho foram as seguintes: 

➢ Considerando que os sectores do Alojamento Turístico e da Restauração e Bebidas foram dos mais impactados com a pandemia COVID-19, caindo o seu peso no PIB de 8,6 % em 2019 para uma estimativa de 4,7 % em 2021;


➢ Considerando que o Turismo, ao longo dos anos, se assumiucomo dos maiores empregadores nacionais;


➢ Considerando que na época pré-pandemia, a AHRESP já tinha identificado a falta de cerca de 40 mil trabalhadores, em Portugal, nos sectores do Alojamento Turístico e da Restauração e Bebidas;


➢ Considerando que este cenário se agravou e dados oficiais confirmam que, em 2021, o canal HORECA perdeu 76.300 trabalhadores face a 2019, com menos 16.100 trabalhadores no alojamento turístico e menos 60 200 na restauração e similares;


➢ Considerando que estamos perante uma escassez generalizada de trabalhadores disponíveis para exercer actividade no Alojamento Turístico e na Restauração e Bebidas, de natureza conjuntural, mas também estrutural, problema que também é sentido a nível europeu;


➢ Considerando que na base da escassez estão vários fatores que devem merecer não só a nossa atenção, mas sobretudo a nossa intervenção;


➢ Considerando a necessidade de se conseguir actrair e reter profissionais nestes setores, compatibilizando-se os anseios dos trabalhadores com as necessidades das empresas;


➢ Considerando o papel que os trabalhadores imigrantes podem representar para colmatar a falta de trabalhadores;


➢ Considerando o papel crucial que desempenha a capacitação e a qualificação dos profissionais e a necessidade de se reverem as políticas de educação e formação vocacional;


➢ Considerando a necessidade de se conferir a todas as categorias profissionais uma maior valorização e dignificação, quebrando-se dogmas antigos que injustificadamente ainda persistem, especialmente para algumas profissões;


➢ Considerando o papel importante que a contratação colectiva e o diálogo social podem desempenhar;


➢ Considerando os constrangimentos que as empresas enfrentam, ao nível procedimental e burocrático, aquando da contratacção de trabalhadores;


➢ Considerando que todo este cenário é comprometedor da retoma e do progresso das empresas, da manutenção de postos de trabalho e da imagem do nosso produto turístico;


➢ Considerando que é desejável que o Turismo evolua de um modelo de crescimento quantitativo para um modelo qualitativo para que se garanta um desenvolvimento contínuo e sustentável;

➢ Considerando que não queremos que este seja apenas mais um fórum de debate sem consequências;

Os participantes da Conferência da AHRESP subordinado ao tema “Que profissionais teremos amanhã?”, após análise dos contributos aqui prestados pelos diversos especialistas das diversas áreas, e decorrente do profícuo debate havido nos diferentes painéis, aprovaram as seguintes conclusões:

I. As empresas do Alojamento Turístico e da Restauração e Bebidas devem procurar empreender estratégias criativas para actrair e reter profissionais, que devem ir para além da retribuição e que podem passar por sistemas de avaliação, práticas de reconhecimento, garantias de progressão na carreira e a uma melhor conciliação entre vida profissional e vida familiar;

II. O valor da retribuição deverá ter sempre em consideração os ganhos de produtividade, fruto do desempenho individual do trabalhador, mas também do desempenho coletivo ao nível de toda a estrutura empregadora;

III. Criação de um ambiente mais favorável ao funcionamento das empresas, nomeadamente por via da redução de encargos fiscais, nomeadamente aqueles diretamente relacionados com o trabalho;

IV. Uma melhor e mais adequada gestão da organização do tempo de trabalho é um factor que gera maior produtividade, o que aumenta a disponibilidade financeira para que asempresas possam proporcionar melhores condições de trabalho;

V. Devem promover-se iniciativas e mecanismos ao nível da dignificação e da valorização das profissões, para o que pode contribuir uma redenominação das categorias profissionais e uma adequação dos seus conteúdos funcionais, por forma a adequá-los à realidade actual e às exigências das nossas actividades;

VI. É urgente uma aposta séria e estruturada na qualificação dos trabalhadores do turismo, promovendo-se um sistema de ensino dual, complementando a aprendizagem com a experiência prática;

VII. Desenvolvimento e implementação de um programa de formação de início de carreira, de curta duração, para as categorias profissionais mais carentes de mão-de-obra qualificada e que, desta forma, facilitem o acesso à profissão. Estas formações devem ser divulgadas e promovidas junto de desempregados e de activos de outras áreas de actividade que desejem iniciar uma carreira nas empresas de Alojamento Turístico e de Restauração e Bebidas;

VIII. A imigração pode e deve ser encarada como fazendo parte da solução, desde que de forma organizada e com garantia de condições dignas, de trabalho e de vida. Para isso, o poder público deverá ainda rever os actuais mecanismos de legalização para trabalhadores por conta de outrem e de reconhecimento de habilitações, que devem ser agilizados;

IX. Elaboração de um “Livro Verde do Mercado do Trabalho HORECA”, para, de forma clara e precisa, se identificar as actuais carências do Mercado, quer em termos de quantidade de recursos humanos, quer em termos da sua qualificação, pois só desta forma é possível identificar as melhores e mais adequadas soluções.

Que profissionais teremos amanhã? A Conferência Mercado de Trabalho está disponível no Youtube

Legenda das Imagens:

1. Carlos Moura, vice Presidente da AHRESP;

2. Catarina Santos Cunha, Vereadora do Turismo Câmara Municipal do Porto;

3. Miguel Fontes, Secretário de Estado do Trabalho;

4. Painel Como actrair e reter profissionais;

5. Painel Condicionalismos na Contratação de Profissionais;

6. Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal e da European Travel Comission, no painel Práticas no mercado de trabalho europeu;

7. Ana Jacinto, Secretária geral da AHRESP.

E ainda

  • Plano de Contingência: modelo para associados actualizado;
  • Empresas de Turismo assinam Carta de Compromisso de valor sustentável;
  • Turistas querem viagens mais sustentáveis;
  • Calendário de formações AHRESP.
  • PARTILHAR   

Outros Artigos