(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2024 - CM Lagos - Programa Vacinação Infantil

Arrendar casa no Algarve: apenas 28% da oferta custa menos de 750 euros/mês

Arrendar casa no Algarve: apenas 28% da oferta custa menos de 750 euros/mês

  • Em Lisboa, somente 2% dos imóveis para arrendar custam menos de 750 euros/mês;
  • 45% da oferta em Portugal custa até 1.000 euros mensais.

A velocidade com que diminui o stock de imóveis no mercado imobiliário português parece estar a afectar o preço das rendas, visto que apenas 28% das casas para arrendar no Algarve custam menos de 750 euros por mês, segundo um estudo publicado pelo idealista, o marketplace imobiliário do sul da Europa. Se aumentarmos o valor para rendas até 1.000 euros mensais, este intervalo de preço representa 45% do total da oferta disponível.

No entanto, analisando por capitais de distrito, encontramos cidades onde predominam as rendas por menos de 750 euros mensais. Em Castelo Branco e Bragança, toda a oferta disponível custa menos que esse valor. Seguem-se a Guarda, onde 75% das rendas são de valor inferior a 750 euros/mês, Santarém (64%), Vila Real (63%), Ponta Delgada (60%), Viseu (60%), Coimbra (58%) e Leiria (54%). No sentido contrário, em Lisboa, apenas 2% dos imóveis no mercado de arrendamento são inferiores a 750 euros/mês. Seguem-se o Funchal (7%), Faro (11%), Porto (12%), Braga (16%), Setúbal (27%), Aveiro (32%) e Viana do Castelo (46%).

Se analisarmos os imóveis para arrendar por menos de 1.000 euros por mês nestes mercados mais exclusivos, onde as rendas são mais caras, conclui-se que 8% da oferta em Lisboa custa menos de 1.000 euros mensais, seguida pelo Funchal (20%), Porto (33%) e Faro (53%).

Arrendamento por distritos

Analisando por distritos, é em Castelo Branco onde predominam as rendas por menos de 750€ por mês, representando 91% da oferta disponível. Seguem-se Portalegre (89%), Bragança (88%), Vila Real (85%), Viseu (75%), Santarém (69%) e Coimbra (65%). No sentido contrário, em Lisboa, apenas 5% dos imóveis no mercado de arrendamento são inferiores a 750 euros/mês. Seguem-se o Porto (19%), ilha da Madeira (20%), Setúbal (27%), Faro (28%), Aveiro (38%), Braga (41%), Leiria (46%) e Viana do Castelo (47%).

Em Portalegre, Castelo Branco, Bragança, Viseu e Vila Real, todos as casas para arrendar nestes distritos custam menos de 1.000 euros por mês. Pelo mesmo valor mensal, a oferta em Coimbra é de 95%, em Santarém de 91%, em Aveiro de 87% e em Braga de 85%. Seguem-se Viana do Castelo (82%), Leiria (81%), Setúbal (74%), Faro (57%), Porto (48%) e ilha da Madeira (35%). Já em Lisboa, apenas 20% das casas custam menos de 1.000 euros por mês.

Metodologia: Para a realização deste estudo, o idealista analisou todas as casas anunciadas na sua base de dados de arrendamento durante o mês de Agosto de 2022. Para o cálculo do intervalo inferior a 750 euros por mês, foram considerados todos os imóveis para habitação abaixo desse valor, como no caso dos imóveis abaixo de 1.000 euros, sem adicionar ambos os dados, uma vez que os do intervalo de preços mais baixo também estão incluídos no mais alto. Em alguns mercados não foi possível obter dados porque a amostra não era representativa.

Tabelas com dados

  • PARTILHAR   

Outros Artigos