(Z1) 2024 - CM de Aljezur - Aljezur Sempre
(Z4) 2024 - CM Lagos - Marchas Populares

PSP de Lagos deteve homem encapuzado à saída de um quintal, de onde levou um par de sapatilhas, mas acabou por sair da esquadra, em liberdade, após ter sido constituído arguido por vários furtos

PSP de Lagos deteve homem encapuzado à saída de um quintal, de onde levou um par de sapatilhas, mas acabou por sair da esquadra, em liberdade, após ter sido constituído arguido por vários furtos

Suspeito será o autor de dezenas de assaltos a estabelecimentos nesta cidade e saiu, recentemente, da cadeia por se ter excedido o prazo máximo de nove meses de prisão preventiva a que estava sujeito, encontrando-se, desde então, a aguardar o acórdão da sentença de um julgamento pela prática de vários furtos e roubos.

Agentes do Núcleo de Investigação Criminal da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Lagos detiveram, nesta quinta-feira, dia 6 de Abril de 2023, por volta das 7.00 horas da manhã, à saída da cave de uma casa situada no Largo da Bela Vista, em Lagos, perto de antigos lavadouros públicos, nas traseiras da escola primária do Bairro Operário, um homem encapuzado, após ter furtado um par de sapatilhas que estava num quintal.

Segundo apurou o nosso Jornal, o suspeito será o mesmo indivíduo, português, de 42 anos, envolvido em dezenas de assaltos, na sua maioria a restaurantes, pastelarias, snack-bares e lojas, durante as madrugadas nos últimos meses, nesta cidade, com recurso a uma pedra para partir as portas de vidro desses estabelecimentos, como o Correio de Lagos tem noticiado.

.

Foi notificado pelas autoridades

.

Depois de ter sido detido, recorde-se, cerca das 7.30 horas desta quinta-feira, por elementos do Núcleo de Investigação Criminal da PSP de Lagos, o assaltante, encapuzado, foi levado para a esquadra. Em seguida, de acordo com informações recolhidas pela nossa reportagem, acabou por ser libertado pelo facto de, em termos penais, o crime que praticou se configurar num furto simples. Ao que sabemos, foi notificado pelas autoridades pelo sucedido e colocado em liberdade, após ter sido constituído arguido por vários furtos.

Este é mais um assalto a juntar a uma série de furtos e roubos, numa altura em que o homem, por se ter excedido o prazo máximo de prisão preventiva de nove meses, continua a aguardar em liberdade pelo acórdão da sentença de um julgamento, na sequência da prática de outros assaltos.

.

Dener Oliveira, vítima de assalto, ao Correio de Lagos: «Já estava acordado quando um agente da PSP, à civil, cerca das 7.30 horas, bateu à porta da casa onde vivo, identificou-se e perguntou-me se tinha havido algum problema, se tinha sentido qualquer coisa. Assustei-me, fui ao quintal e dei logo por falta de umas sapatilhas azuis e brancas»

.

.

«Já estava acordado quando um agente da PSP, à civil, cerca das 7.30 horas, bateu à porta da casa onde vivo, identificou-se e perguntou-me se tinha havido algum problema, se tinha sentido qualquer coisa. Assustei-me, fui ao quintal e dei logo por falta de umas sapatilhas azuis e brancas», contou, nesta quinta-feira à tarde, ao Correio de Lagos, Dener Oliveira, de 30 anos e nacionalidade brasileira, que vive sozinho na cave de um edifício, nº. 5 1, no Largo da Bela Vista, nesta cidade. O local fica perto da Junta de Freguesia de São Gonçalo de Lagos.

Pouco depois, a vítima deste novo assalto, que não quis ser fotografada por questões de segurança, pelo nosso Jornal, teve de se deslocar à esquadra da PSP de Lagos, onde reconheceu o seu par de sapatilhas, furtado pelo assaltante e que, entretanto, tinha sido apreendido pelas autoridades ao suspeito. Nas instalações policiais, Dener Oliveira apresentou queixa à PSP para prosseguirem as investigações. As sapatilhas foram-lhe devolvidas.

Curiosamente, na altura, estavam na esquadra várias peças de vestuário, apreendidas pela polícia, entre as quais meias e um soutien, que terão sido furtados pelo mesmo assaltante, encapuzado, numa outra residência em Lagos, ao que o nosso Jornal conseguiu apurar. A vítima deste furto, uma senhora, também apresentou queixa na PSP.

Há um ano em Portugal, Dener Oliveira, que trabalha no concelho de Lagos, comunicou o sucedido ao seu patrão, que lhe deu folga para poder tratar da queixa às autoridades. «É o segundo assalto de que sou vítima em dois meses. Na primeira vez, fiquei sem dois casacos que estavam no quintal», disse-nos Dener Oliveira, que já colocou um cadeado no portão de acesso às escadas para a cave da sua moradia.

Em actualização

  • PARTILHAR   

Outros Artigos