(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2024 - CM Lagos - Programa Vacinação Infantil

Banco Alimentar do Algarve vence prémio e vai ajudar famílias carenciadas

Banco Alimentar do Algarve vence prémio e vai ajudar famílias carenciadas

A insƟtuição algarvia foi disƟnguida com o Prémio MSD Maria José Nogueira Pinto e vai receber 15 mil euros para a construção de uma plataforma digital de gestão e distribuição de apoio alimentar.

No passado dia 11 de outubro o Banco Alimentar do Algarve foi disƟnguido com o Prémio MSD Maria José Nogueira Pinto, que vai na 11° edição.

A cerimónia de entrega do prémio decorreu no Palácio dos Marqueses de Fronteira, em Lisboa, e contou com a presença de Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, e Manuel Pizarro, Ministro da Saúde.

O quarto maior banco alimentar do país venceu com um projeto para melhorar a distribuição dos alimentos aos mais carenciados na região algarvia. O «E-Integrar» surge no âmbito da Associação Pró-ParƟlha e Inserção do Algarve, com o propósito de dinamizar o Banco Alimentar do Algarve.

Este projeto vai receber 15 mil euros que serão uƟlizados para a construção de uma plataforma digital de gestão e distribuição do apoio alimentar, com o objeƟvo de colmatar necessidades essenciais da população sem que as mesmas se tenham de expor.

O «E-Integrar» permite cruzar toda a informação dos interessados em receber apoio e garante que os alimentos cheguem a quem realmente precisa. Para além disso, o projeto pretende impor maior jusƟça e equidade na distribuição dos alimentos.

Em colaboração com a Universidade do Algarve, a Administração de Saúde do Algarve e a Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, o «E-Integrar» tem em conta os critérios nutricionais dos alimentos, de modo a preparar cabazes mais saudáveis.

Nuno Cabrita Alves sublinha que esta é «uma vitória que vinca o trabalho do Banco Alimentar do Algarve e destaca a sua posição no país».

«É importante agradecer a todos os parceiros, instituições e voluntários que sempre apoiaram o Banco Alimentar do Algarve», frisa o presidente da instituição.

O trabalho sazonal ligado ao turismo, os salários baixos e o aumento da inflação fizeram aumentar os pedidos de ajuda ao Banco Alimentar do Algarve. «Contamos, mais do que nunca, com o apoio dos voluntários para conseguirmos apoiar os milhares de famílias carenciadas na região algarvia», apela Nuno Cabrita Alves.

Neste momento, o Banco Alimentar do Algarve ajuda 22 mil e 500 pessoas, um número que ultrapassa as 15 mil e 500 pessoas que estavam a ser apoiadas no período pré-pandemia covid-19.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos