(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2023 - CM Lagos - Marchas Populares

Gonçalo Oliveira segura representação portuguesa em singulares no Loulé Open by Cimpor

Gonçalo Oliveira segura representação portuguesa em singulares no Loulé Open by Cimpor

Portuense foi o único de oito a seguir em frente Faria, Vale e Coelho sorriem nos pares

Gonçalo Oliveira foi o único de oito portugueses a carimbar o apuramento para a segunda ronda do quadro principal de singulares do Loulé Open by Cimpor, torneio internacional de 25.000 dólares que o Clube de Ténis de Loulé organiza, com os apoios da Câmara Municipal de Loulé e da Federação Portuguesa de Ténis, entre os dias 26 de fevereiro e 5 de março.

Único tenista luso a ter entrada direta no quadro principal, Gonçalo Oliveira (464.º classificado no ranking mundial) superou de forma categórica o qualifier japonês Ryotaro Matsumura (1044.º) por 6-1 e 6-2 após 1h16.

O portuense-tornado-algarvio (escolheu a região como local de residência há vários anos) dominou o encontro desde o início graças à maior superioridade desde a linha de fundo e só “tremeu” na reta final, quando serviu para a vitória e precisou de anular pontos de break.

Com uma exibição autoritária, Oliveira agendou encontro com o francês Jules Marie (chegou a ser 228.º e atualmente é o 440.º), responsável pelo afastamento do compatriota Mathys Erhard (sexto favorito) por 6-2 e 6-3.

De resto, a jornada desta quarta-feira foi negativa para a comitiva lusa em singulares: depois de, na véspera, Jaime Faria e Fábio Coelho terem cessado as respetivas campanhas na variante, também Duarte Vale, Pedro Araújo, Henrique Rocha, Tiago Pereira e Gonçalo Falcão foram eliminados.

O primeiro a "cair" foi Vale (558.º classificado no ranking ATP), que perdeu por 5-7, 6-2 e 6-3 com o costa-marfinense Eliakim Coulibaly (511.º) após 2h29.

Depois seguiram-se os desaires de Falcão (atualmente sem ranking mundial) e Araújo (643.º), que após passarem pelas três rondas de qualificação não resistiram a Guy Den Ouden (740.º) e Billy Harris (372.º), respetivamente. O primeiro perdeu por 6-4, 1-6 e 6-1, o segundo cedeu pelos parciais de 6-4, 4-6 e 6-3.

Já ao final da tarde, Henrique Rocha (639.º) não conseguiu dar sequência às campanhas em Vila Real de Santo António (campeão) e Faro (quartos de final) e perdeu por 6-4 e 6-4 com o japonês Naoki Nakagawa (456.º).

O último luso a cair no decorrer desta jornada foi o algarvio Tiago Pereira (1434.º), também ele oriundo da fase de qualificação, que deu muito trabalho ao italiano Giovanni Fonio (331.º e quarto favorito) antes de perder por 6-4 e 7-6(2).

O alinhamento desta quarta-feira também ficou marcado pela estreia vitoriosa de Lukas Rosol. Estrela maior desta edição devido ao currículo que o destaca dos demais, o checo (atual 262.º, mas ex-número 26 mundial e detentor de dois títulos ATP) não sentiu dificuldades para confirmar o estatuto de segundo cabeça de série e venceu o argentino Juan Bautista Otegui (401.º) por 6-2 e 6-2.

Já na variante de pares, o decorrer da ação foi mais sorridente à comitiva portuguesa, que um dia depois do triunfo dos jovens Henrique Rocha e Tiago Pereira viu ser confirmada a presença de pelo menos um jogador nas meias-finais. Isto porque Fábio Coelho venceu ao lado do francês Clement Chidekh (6-2 e 6-2 frente a Dali Blanch e Illya Maksymchuk) e depois Jaime Faria e Duarte Vale superaram Gonçalo Falcão e o checo Stepan Pecak por 6-2 e 6-3 para agendarem encontro nos "quartos.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos