(Z1) 2022 - Água - Poupe Hoje Para Não Faltar No Verão
(Z4) 2022 - Projecto Águas Sem Fronteiras

Ministro da Cultura nomeia dirigentes da Direcção-Geral das Artes (DGArtes) e da Inspecção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) e designa Conselho de Administração da Fundação Centro Cultural de Belém (FCCB)

Ministro da Cultura nomeia dirigentes da Direcção-Geral das Artes (DGArtes) e da Inspecção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) e designa Conselho de Administração da Fundação Centro Cultural de Belém (FCCB)

O Ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, nomeou o director-geral e subdirector-geral da DGArtes e a subinspectora-geral da IGAC na sequência de concurso público desenvolvido pela Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CRESAP).

Américo Rodrigues como director-geral das Artes, Pedro Barbosa como subdirector-geral das Artes e Sara Medina dos Santos como subinspectora-geral da IGAC são os dirigentes nomeados, e por esta via confirmados nas funções que exerceram até agora em regime de substituição. Estas nomeações, com efeito a 2 de Maio último, correspondem a comissões de serviço de cinco anos.

A Fundação CCB dispõe de um presidente e dois vogais, os três designados por despacho do membro do Governo responsável pela área da Cultura. Elísio Summavielle, Delfim Sardo e Madalena Reis são os responsáveis nomeados. Os seus mandatos têm uma duração de três anos, com efeitos a 26 de Abril último. De acordo com os Estatutos da Fundação, Elísio Summavielle preside ao Conselho Diretivo e ao Conselho de Administração. A vogal Madalena Reis sucede no cargo a Isabel Cordeiro, que assumiu funções como Secretária de Estado da Cultura.

.

Perfis

Américo Jorge Monteiro Rodrigues (1961), mestre em Ciências da Fala e da Audição e licenciado em Língua e Cultura Portuguesas é, desde fevereiro de 2019, diretor-geral das Artes em regime de substituição. Coordenou os grupos de trabalho de revisão do modelo de apoio às artes, de regulamentação da rede de teatros e cineteatros portugueses (RTCP) e da implementação da rede portuguesa de arte contemporânea (RPAC), entre outros. Foi diretor artístico e programador do Teatro Municipal da Guarda (2005-2013) e coordenador-geral da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (2015-2018).

.

Pedro Nuno de Pinho Matos Barbosa (1968), licenciado em Direito, é desde abril de 2021 subdirector-geral das Artes (em regime de substituição). Ingressou no Instituto Português das Artes do Espetáculo (IPAE) em 1999, como consultor jurídico e foi coordenador do Gabinete Jurídico do também do Instituto das Artes (IA). Já na atual DGArtes, como técnico superior, participou na revisão do modelo de apoio às artes, da regulamentação da rede de teatros e cineteatros portugueses e do estatuto dos profissionais da cultura.

.

Sara Elisa Estrela Medina dos Santos (1973), licenciada em Gestão, assumiu em 2019 o cargo de subinspectora-geral das Actividades Culturais (em regime de substituição). Anteriormente foi chefe de equipa dos Espaços Cidadão da Agência para a Modernização Administrativa, AMA, IP e colaborou com o Departamento de Inspecção do Instituto de Solidariedade Social.

.

Elísio Costa Santos Summavielle (1956), licenciado em História, com especialização em História de Arte, é desde 2016 Presidente da Fundação Centro Cultural de Belém. Foi administrador-delegado da CML na Sociedade Lisboa-94, Capital Europeia da Cultura e subdirector-geral da Direcção-Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais (1996-2005). De 2005 a 2007 foi presidente do Instituto Português do Património Arquitetónico (IPPAR) e depois director do Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico (IGESPAR). Entre 2009 e 2011 foi Secretário de Estado da Cultura do XVIII Governo Constitucional e em 2012 foi director-geral da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC).

.

Delfim José Gomes Ferreira Sardo (1962), professor na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, é vogal do Conselho de Administração da Fundação Centro Cultural de Belém desde 2020. Entre 1997 e 2003 foi consultor da Fundação Calouste Gulbenkian. Dirigiu o Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém e foi também responsável pela programação de artes visuais da Culturgest. Foi comissário da Representação Portuguesa à 48.ª Bienal de Veneza e em 2010 foi cocomissário da Representação Portuguesa à Bienal de Veneza de Arquitetura e curador geral da Trienal de Arquitetura de Lisboa. Fundou a revista Pangloss e presidiu à AICA - Associação Internacional de Críticos de Arte /Portugal.

.

Maria Madalena Lacerda Pinto Basto Gouveia Albuquerque Reis (1978), licenciada em História da Arte, é desde 2014 directora de Marketing e Desenvolvimento do Centro Cultural de Belém. Em 2019 concluiu o Programa de Direção de Empresas da AESE Business School. Integrou a redacção da Revista L+arte, e tem um percurso profissional ligado a instituições culturais, designadamente o Museu Nacional de Arte Antiga e a Casa das Histórias Paula Rego.

.

Todas as nomeações serão publicadas em Diário da República.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos