(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2023 - CM Lagos - Natal

DiVaM leva “Primeiras Conversas sobre Patrimónios (Des)confortáveis” à Fortaleza de Sagres

DiVaM leva “Primeiras Conversas sobre Patrimónios (Des)confortáveis” à Fortaleza de Sagres

No âmbito da edição de 2023 do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos, a Fortaleza de Sagres acolhe, no próximo dia 17 de novembro, a iniciativa “Primeiras Conversas sobre Patrimónios (Des)confortáveis”. 

No domingo, dia 19 de novembro, a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe recebe o “Concerto e Performance: 2x1+X Concerto de Música Erudita e Performance de Pintura”,


As “Primeiras Conversas sobre Patrimónios (Des)confortáveis” realizam-se já esta sexta-feira, às 15h00, no auditório da Fortaleza de Sagres, uma iniciativa da Associação Vicentina, com base no tema escolhido para esta edição DiVaM, "Patrimónios (des)confortáveis". Estas resultam de um convite da DRCAlg para organizar um debate e reflexão que estimule o pensamento e o conhecimento sobre este tema, permitindo trabalhar várias temáticas associadas às questões da (des)colonização patrimonial e as relacionadas com as identidades, segregação social, racismo e pós-memórias coloniais.


Com estas primeiras conversas, a Associação Vicentina pretende promover um espaço de reflexão e de disponibilidade para olhar perspetivas sobre dinâmicas que acompanham a forma como as comunidades interagem e se relacionam com a herança cultural e com o(s) património(s), enquanto resultado de factos históricos e sociais, e de narrativas construídas com base em noções de identidade e de poder.


Com um formato de conferência, seguida de debate com o público, estas “Primeiras Conversas” sobre memória, desconstrução de narrativas e arte contemporânea e descolonização patrimonial, contam com a participação da antropóloga, investigadora e curadora, Elsa Peralta, do historiador e museógrafo, Gonçalo Amaro, do artista visual, performer e curador, Márcio Carvalho, e a moderação da jornalista e diretora do Jornal Sul Informação, Elisabete Rodrigues. A escolha dos oradores convidados teve por base as suas experiências de trabalho e investigação sobre a forma como a sociedade portuguesa tem vindo a olhar para o período da colonização, nomeadamente através da arte pública e do património material.


A participação no evento é gratuita, mas sujeita a inscrição. Para mais informações por email: vicentina@vicentina.com ou por telefone: 282 680 120


No dia 19 de novembro, pelas 15h30, a encerrar o programa que assinala os 563 anos da morte do Infante D. Henrique, a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe é palco do “Concerto e Performance: 2x1+X Concerto de Música Erudita e Performance de Pintura”. Este espetáculo, apoiado pelo PAACA – Programa de Apoio à Ação Cultural, insere-se no Projeto ELA, Ensemble Livre do Algarve, coletivo artístico feminino juvenil. Tem como intérpretes as artistas Carina Candeias (guitarra), Rita Coelho (piano) e Luana Fernandes (pintura). Trata-se de um concerto sinestésico, em que a música e a pintura são protagonistas.


O “Concerto e Performance: 2x1+X Concerto de Música Erudita e Performance de Pintura” é promovido pela ALMA – Associação Livre de Música e Artes, com a produção da Associação AORCA e o apoio de Susana Rebelo e Sofia Brito.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos