(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2021 - Concurso de Fotografia

AMAL e Turismo do Algarve refutam pré-aviso de greve no SEF

AMAL e Turismo do Algarve refutam pré-aviso de greve no SEF

O Presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), António Miguel Pina, e o Presidente do Turismo do Algarve, João Fernandes, refutam o aviso prévio de greve do Sindicato dos Inspetores de Investigação, Fiscalização e Fronteiras (SIIFF), pelo previsível impacto na actividade económica do principal destino turístico nacional e no emprego de muitos residentes na região, no início da época alta do Verão.

António Miguel Pina e João Fernandes afirmam que: «Face ao pré-aviso de greve do SIIFF, referente aos funcionários da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras - CIF/SEF, no período das 09h00 às 12h00 da manhã, entre os dias 01 e 15 de Junho, exortamos o sindicato a ponderar as consequências gravosas desta posição, atendendo ao impacto que terá na actividade turística do principal destino nacional e no emprego de muitos residentes na região do Algarve».

Continuam alegando que: «Não está em causa o legítimo direito constitucional à greve dos trabalhadores do SEF. O que está em causa é o direito ao trabalho de muitos residentes no Algarve e o retomar da actividade motora da economia regional, num período sensível em que o país dispõe de uma vantagem competitiva face aos destinos turísticos concorrentes. Não podemos desaproveitar esta vantagem após um longo período sem actividade com forte impacto nas empresas e nas famílias algarvias».

«Sendo a primeira quinzena de junho um período fulcral, que antecede o pico da procura turística de julho e agosto na região, este pré-aviso de greve poderá manchar a imagem internacional do destino e marcar negativamente a operação turística de todo o verão. Recorde-se que o grande impacto da pandemia de COVID-19 foi sobretudo por falta de procura externa, que tem como principal porta de entrada na região é o Aeroporto Internacional de Faro, estrutura também ela muito impactada do ponto de vista do emprego nas diferentes empresas que ali operam», justificam os responsáveis.

Face ao exposto, António Miguel Pina e João Fernandes reiteram o pedido ao sindicato «para que não conclua o pré-aviso de greve, cuja oportunidade não é compreensível, num momento em que o Brexit e a crise sanitária acarretam acrescidas responsabilidades e acrescido volume de trabalho dos inspectores do SEF no controlo de fronteiras. Caso esta pretensão não seja atendida, e face ao estado de necessidade de uma região que regista a taxa de desemprego mais alta do país, enviaremos ao Governo um pedido de requisição civil».

  • PARTILHAR   

Outros Artigos