(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir

ALGFUTURO: Carta Aberta em defesa da «honra» do Algarve e dos seus empresários

ALGFUTURO: Carta Aberta em defesa da «honra» do Algarve e dos seus empresários

«Agentes da região unidos pelos grandes valores e amor ao Algarve, lutando por direitos sempre esquecidos» – é a frase que precede esta Carta Aberta da ALGFUTURO – União Empresarial do Algarve, infra citada.

1. Em carta aberta do passado dia 25.02.2021, de forma serena, mas muito firme, denunciámos as inaceitáveis condutas de alguns agentes públicos que, a nível regional e nacional, atacam a agricultura de regadio e, pode dizer-se, de forma cobarde o abacateiro/abacate que, falsamente, afirmam ser de caracter intensivo. Simultaneamente, ATRIBUEM AO ABACATEIRO /ABACATE MALEFÍCIOS QUE NÃO TEM, E ESCONDENDO OS MUITOS BENEFICIOS.

Tal ataque, atinge e compromete em particular os homens da terra, mas também a generalidade dos empresários algarvios e toda a região, fazendo logo parangonas informativas. Tudo isso será desmistificado.

Em contrapartida, esperamos desesperadamente pelo Novo Hospital Central, mas está tudo calado mesmo perante tantos milhões de euros a chegar.

E só o que falta é manterem uma população em stress desesperante, para o Hospital qual coelho da cartola, ser anunciado como trofeu eleitoral na véspera das autárquicas. Seria o cúmulo do despudor.

2. Noutra perspetiva, é muito nobre ser empresário, correndo riscos de toda a ordem e criando empregos e riqueza. NOBRE É IGUALMENTE O PAPEL AMIGO E OPERACIONAL DE APOIO DAS ASSOCIACÕES, ao mesmo tempo um garante para o Estado e público de que zela em absoluto por um caderno de boas práticas a nível sanitário, direitos dos trabalhadores, compromissos fiscais, etc. Isto é, num quadro social ético e economicamente numa base de sã concorrência. São estes os princípios estatutários por que se rege a ALGFUTURO- UNIÁO EMPRESARIAL DO ALGARVE, ACRESCIDO DO CONTRIBUTO, A QUE TODOS ESTÃO OBRIGADOS, DE RESPEITAR NORMAS E BOAS PRÁTICAS de afirmação da imagem da região e genuinidade dos seus produtos.

3. Ora, é esta a CARTA a que a ALGFUTURO voluntariamente se obriga, PELO QUE OS empresários agrícolas produtores de abacates e outros bem como, do ALOJAMENTO TURISTICO, etc., TÊM DE CUMPRIR COM TODO O RIGOR AS Normas E MELHORES PRÁTICAS. E, naturalmente respondendo perante as autoridades pelas ilegalidades eventualmente cometidas.

4. Esta é uma regra geral da ALGFUTURO que se alarga a uma luta intransigente contra todo o tipo de economia paralela, seja no alojamento, Citrinos IGP " Indicação Geográfica Protegida; fuga de peixe à lota etc. Tem que ser assim, pela verdade das coisas e sã concorrência.

5. Voltamos a salientar que, no caso dos abacates, os empresários discordam em absoluto das intenções restritivas que têm vindo a público. esperam pela sua alteração e, como sempre, estão disponíveis para dialogar.

Os Subscritores
ALGFUTURO
FRUSOAL
MADRE FRUTA

  • PARTILHAR   

Outros Artigos