(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2024 - CM Lagos - Arte Doce

AHRESP manifesta o seu apoio às vítimas dos incêndios

AHRESP manifesta o seu apoio às vítimas dos incêndios

  •     AHRESP manifesta o seu apoio às vítimas dos incêndios e solidariza-se com quem trabalha na promoção diária das regiões e na sua recuperação como destino turístico de excelência
  •          Temperatura irá aquecer novamente, aumentando risco de incêndio, que poderá prolongar-se até outubro

O flagelo dos incêndios florestais não terminou e o país está a sofrer as suas consequências: Portugal será, actualmente, um dos países europeus com mais área ardida. A área protegida mais extensa do país, a Serra da Estrela, tem sido especialmente afectada, com muitos milhares de hectares ardidos e um ecossistema ambiental e económico de enorme importância destruído.

Cinco anos depois da tragédia que se abateu em força sobre uma parte do território nacional, o pesadelo dos incêndios ainda não terminou. E com o aumento de temperaturas e a seca extrema que assola o território nacional, a situação poderá continuar ainda durante o mês de Setembro e, talvez, em Outubro.

A AHRESP manifesta a sua solidariedade para com a população afectada pelos incêndios rurais, assim como para quem tem tido uma missão muito difícil e mais uma vez têm sido verdadeiros heróis: bombeiros, sapadores e demais agentes de proteção civil.

O nosso abraço mais solidário também às empresas e empresários atingidos por esta devastação e a quem trabalha diariamente na promoção das regiões portuguesas como destinos turísticos de excelência. A AHRESP disponibiliza-se para o que for necessário e estará presente, como tem estado, neste tempo de incerteza e dúvida.

Confiando que a recuperação acontecerá rapidamente, a AHRESP defende a criação de apoios desburocratizados às famílias e empresas que viram o seu sustento posto em causa, demonstrando igualmente a sua disponibilidade para ajudar a desenhar esses mesmos apoios.

A todos os turistas e visitantes, a AHRESP pede que seja redobrada a atenção nos seus comportamentos, evitando os de risco numa altura tão delicada.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos