(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2022 - Projecto Águas Sem Fronteiras

Hospitalização Domiciliária: especialistas reúnem-se para debater prática, desafios e impacto no SNS

II Congresso Nacional de Hospitalização Domiciliária
Hospitalização Domiciliária: especialistas reúnem-se para debater prática, desafios e impacto no SNS

O Núcleo de Estudos de Hospitalização Domiciliária da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) realiza o II Congresso Nacional de Hospitalização Domiciliária, nos dias 3 e 4 de Junho, no Hotel Tryp Lisboa Caparica Mar, em formato hídrio.

Médicos internistas, enfermeiros e outros profissionais com actividade ligada à Hospitalização Domiciliária – entre os quais de Serviço/Acção Social – vão reunir-se para discutir a prática de HD e reflectir sobre os principais desafios que Portugal enfrenta no que respeita à implementação e expansão deste serviço de internamento.

De 2020 para 2021 houve um grande aumento de número de doentes tratados e unidades de HD. Presentemente, temos 36 unidades do Sistema Nacional de Saúde e uma unidade privada, do grupo CUF. No final de Dezembro do ano passado tinham sido tratados em HD 16.183 doentes sendo que em 2020 foram 4.830. Já em 2021 foram tratados 7.253 doentes, é notório que de um ano para o outro se registou um aumento significativo. Isto corresponde em 2020 a cerca de 215 camas, e em 2021 a 300 camas diárias”, afirma Francisca Delerue, presidente do II Congresso Nacional de Hospitalização Domiciliária e Directora do Serviço de Medicina Interna do Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Hospitalização Domiciliária na área clínica; na área organizacional; na área de gestão e na área de tecnologia são os principais temas que vão estar em destaque no encontro são os principais temas que vão estar em destaque no encontro.

Coordenadora do Núcleo de Estudos de Hospitalização Domiciliária da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (NEHD), Francisca Delerue salienta que a Hospitalização Domiciliária “é uma solução para aliviar a pressão o SNS”.

Temos uma sobrelotação enorme dos hospitais. Com o aumento de esperança média de vida as urgências estão sempre muito assoberbadas e cheias de doentes. Considero que os hospitais têm de ficar reservados a situações graves”, frisa a médica internista. Mais informações disponíveis em https://www.spmi.pt/2o-congresso-nacional-de-hospitalizacao-domiciliaria/.

Sobre a SPMI

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) é uma das maiores sociedades científicas médicas portuguesas, que congrega os internistas, que são a base do Serviço Nacional de Saúde nos hospitais. Um dos seus maiores desígnios é a divulgação do conhecimento, dirigida aos médicos e à população, no campo muito vasto da Medicina Interna. Para além da Medicina Curativa, quer ser também cada vez mais reconhecida no campo da prevenção da doença e promoção da saúde. Para mais informações consulte https://www.spmi.pt/

  • PARTILHAR   

Outros Artigos