(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2024 - CM Lagos - Programa Vacinação Infantil

APDP e Ginásio Clube Português alertam para a importância da actividade física no controlo da diabetes

Parceria entre APDP e o Ginásio Clube Português foi criada em 2018 e tem como objectivo promover a actividade física junto das pessoas com diabetes
APDP e Ginásio Clube Português alertam para a importância da actividade física no controlo da diabetes

No Dia Mundial da Actividade Física, que se assinala a 6 de Abril, a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) e o Ginásio Clube Português (GCP) lembram os benefícios da actividade física para a prevenção e controlo da diabetes e alertam para os perigos de uma vida sedentária. A inactividade física constitui um factor de risco responsável por cerca de 5 milhões de mortes anuais no mundo e contribui para o aparecimento das principais doenças crónicas não transmissíveis, como a diabetes tipo 2

Está comprovado cientificamente que a actividade física tem impactos positivos directos na saúde: melhora o controlo da glicose no sangue, reduz os factores de risco cardiovascular, reduz a incidência de vários tipos de doenças e contribui para melhoria da composição corporal, bem como para o bem-estar geral.

Para José Manuel Boavida, presidente da Direcção da APDP, “As cidades deviam ser planeadas para que a actividade física fosse integrada, naturalmente, na vida das pessoas. Esse passo seria fundamental para proporcionar uma experiência urbana na qual as pessoas pudessem circular activamente no espaço público, caminhando ou andando de bicicleta, por exemplo, e nos locais de trabalho, com actividades lúdicas activas e regulares no dia a dia. O problema que se coloca é que a vida da grande maioria das pessoas em idade activa não integra a actividade física no seu quotidiano e isso pode ter repercussões para a sua saúde.”

Recentemente, a Associação Americana de Diabetes (ADA), divulgou as mais recentes orientações relacionadas com a prática de actividade física por pessoas com diabetes. Nestas inclui-se a recomendação da realização de um volume de treino de pelo menos 150 minutos por semana de actividade com intensidade moderada ou vigorosa para os adultos e uma média de 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.

João Pejapes, Director Executivo do Departamento de Exercício e Saúde do GCP, acrescenta que para as pessoas com diabetes, “em relação ao tipo de exercício, devem ser escolhidos exercícios ou actividades que promovam a solicitação dos grandes grupos musculares, incidindo no treino cardiorrespiratório, na flexibilidade, na força muscular e no equilíbrio. Para os mais jovens e fisicamente mais bem preparados, um volume de treino de 75 minutos por semana com uma intensidade vigorosa ou intervalada poderão ser suficientes. Claro que poderá haver a possibilidade de ir um pouco mais além das doses de actividade física recomendadas. Para isso, teremos de nos certificar de que a condição física, os objectivos e as limitações (se existirem) assim o permitem, garantido que todo o plano está ajustado à condição física de cada individuo.”

O mais importante é ter presente que todos os esquemas têm de ser individualizados e adaptados à vida de cada um. Qualquer quantidade de actividade física é melhor do que nenhuma e toda a actividade física conta, deste o treino planeado às tarefas diárias e domésticas que envolvem movimento”, conclui João Filipe Raposo, Diretor Clínico da APDP.

A APDP e o GCP, duas instituições centenárias, com décadas de experiência nas suas áreas de especialidade, estabeleceram uma parceria para a promoção da actividade física junto das pessoas com diabetes seguidas na associação e têm desenvolvido, desde 2018, várias iniciativas em conjunto, assegurando o GCP condições mais vantajosas de inscrição.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos