(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2021 - Concurso de Fotografia

Surto infecioso COVID 19

Surto infecioso COVID 19

Comunicado do Movimento  Lagos com Futuro

Foi recentemente declarado pela Organização Mundial de Saúde uma situação de crise pandémica, devido à evolução do Coronavírus (COVID 19);

Enfrentamos um inimigo silencioso e altamente infecioso que tem provocado a morte de muitas pessoas, um pouco por todo o mundo. No nosso País registaram-se os primeiros contágios a partir do início de Março. Passados que são 23 dias após esses contágios, os dados oficiais dão conta de 2060 de portugueses infetados, 47 pessoas nos cuidados intensivos e 23 casos mortais. Em virtude de não estarem a ser realizados testes a muitos casos suspeitos, os números registados de pessoas contaminadas podem, na realidade, ser muito superiores.

O cenário apontado pelo governo dá a semana de 7 a 14 de Abril como o momento em que se atingirá o pico máximo de pessoas infetadas com o COVID 19. Estamos perante uma ameaça única à saúde de todos nós, registando todos os dias novos casos de um vírus que tem um nível de propagação mais rápido que qualquer outro conhecido, sendo uma das maiores ameaças que a Humanidade já enfrentou.

A nível económico, o impacto é enormemente negativo, com quedas históricas nas bolsas de valores por todo o mundo, arrastando até as empresas mais cotadas. O recente declarado Estado de Emergência, que obrigou ao fecho de grande parte dos estabelecimentos comerciais e empresas que não estejam diretamente ligados ao esforço na luta contra a pandemia, é outro indício das dificuldades que se avizinham, afetando a economia local, nacional e global. Neste cenário, as empresas e famílias, não terão disponibilidades financeiras suficientes para fazer face às suas realidades e satisfazer os seus compromissos no curto/médio prazo. O Senhor Primeiro-Ministro referiu, relativamente à situação pandémica, que esta provocará um tsunami económico e discute-se, desde logo, a necessidade de realizar um orçamento retificativo, que julgamos de todo imperativo.

Impõem-se medidas de apoio às empresas e às famílias, nomeadamente, destinando verbas a fundo perdido às empresas, para evitar o colapso total da economia e o desemprego em massa dos trabalhadores. Julgamos que o apelo realizado pelo Governo aos bancos para apoiarem as empresas é uma boa intenção, dado que os Orçamentos do Estado (dinheiro dos impostos dos portugueses) têm salvado os Bancos nos últimos anos mas, ao contrário, não acreditamos no altruísmo destas entidades, atendendo que as mesmas visam o lucro e não têm no seu ADN preocupações no âmbito social. Cabe ao Governo tomar medidas para salvar a economia.

Até ao momento, não se registou no nosso Município, qualquer caso de contágio registado pelas entidades de saúde, o que revela que as medidas preventivas impostas pelo Sr. Presidente da República, Assembleia da República, Governo, o Sr. Presidente da Câmara Municipal, a DGS e as restantes autoridades, têm sido cumpridas pela população e pelas empresas, o que registamos como bastante positivo.  

Subscrevemos as medidas já adotadas pela nossa Câmara através de comunicados onde são apontadas medidas restritivas para evitar a disseminação desta doença.

Ainda num recente Comunicado Público, o Sr. Presidente da Câmara referiu os impactos que não só a curto, mas também a médio e longo prazo que este surto irá ter na economia local e nomeadamente, no Turismo, principal fonte de riqueza do Concelho, pensando nas enormes consequências que terá no tecido empresarial, na manutenção dos postos de trabalho e no rendimento das famílias, deixando antever medidas de apoio às empresas e famílias. 

Entendemos que estamos a viver tempos extraordinários em QUE TODOS NÓS DEVEMOS ESTAR UNIDOS PARA COMBATER ESTE SURTO QUE AMEAÇA TODOS SEM EXCEÇÃO, dos mais ricos aos mais pobres e essa circunstância leva-nos a concluir que enquanto seres humanos, temos muito mais razões que nos aproximam uns dos outros, do que razões que nos separam e naturalmente a solidariedade social/humana é uma das principais armas de combate a este vírus.

Sabemos que a rede social, no nosso Município, está a trabalhar articuladamente com a supervisão da Autarquia e a responder diariamente às necessidades das pessoas mais frágeis, neste sentido, recomendamos também à CML que promova um grupo de trabalho visando organizar cidadãos e cidadãs voluntario(a)s, através do respetivo Banco Local de Voluntariado, de forma a que, em situações mais criticas que possam vir a ocorrer, estes cidadãos e cidadãs sejam uma força de segunda linha a apoiar os grupos mais frágeis ou de risco, caso se esgotem os recursos humanos já preparados para esse efeito no foro da CVP de Lagos, SCML ou os BVL. Desta forma poderemos também contribuir para incentivar uma cultura de comunidade e solidariedade social e humana. Não existe, no entanto, informação disponível, caso esta pandemia atinja o nosso Concelho, e pese embora as expectativas de todos nós que não se registem casos de infeção, é crível que a realidade seja mais cruel e face a essa mesma realidade, importa dar a conhecer a todos os Munícipes o que está implementado no terreno, saber qual o plano operacional de combate a este inimigo e quais as melhores formas de ação. Para isso, recomendamos à nossa Edilidade que melhore a Informação a prestar a todos, de forma a ajudar a aquietar a nossa sociedade.

Assim, é nossa opinião que só todos juntos é que poderemos aspirar a sair vencedores desta “guerra”, nomeadamente ajudando a Câmara, sugerindo algumas recomendações para a melhoria da informação a prestar a todos os Munícipes de forma a ajudar a aquietar as mentes de todos.

Recomendamos ainda ao Sr. Presidente da Câmara que informe a população, de forma regular, do evoluir da situação e, adicionalmente, também que dê a conhecer como será ativado o Plano Operacional que está articulado com as Autoridades (GNR e PSP), com as Instituições que integram a nossa Rede Social, com os Bombeiros, Cruz Vermelha e INEM, Proteção Civil, SNS (Hospitais e Centros de Saúde) identificando as respostas operacionais de cada uma das Entidades, e complementarmente, no que concerne aos níveis de testes que possam ser efetuados, de recursos humanos e equipamentos existentes, caso se comecem a registar pessoas infetadas e consequentemente exista a necessidade de agudizar as medidas restritivas à população. E ainda quais as respostas de Supermercados e outros negócios/lojas que transacionam bens de primeira necessidade, como padarias, talhos, entre outros, como se vão comportar no terreno, se, efetivamente, a situação se agravar.

A todos aconselhamos que sigam as recomendações, mesmo quando nem sempre estejam de acordo com as mesmas. Sabemos que os portugueses nem sempre gostam de seguir regras, mas neste momento é imprescindível que assim seja. O nosso esforço, ficar em casa, pode não parecer o mais difícil, o mais importante, o mais decisivo. Mas acreditem, que é difícil, que é importante e que será, certamente, decisivo na luta contra este inimigo que não escolhe géneros, idades, raças, ideologias ou fatores de riqueza. São e serão tempos muito complicados, onde por vezes nos deixaremos abater, mas no fim de tudo, quando tivermos derrotado mais esta dificuldade, estaremos mais fortes, mais resilientes e esperamos, também, ser mais capazes de perceber de refletir de aprender e mudar. Só assim a nossa vitória pode ser verdadeira.

O Movimento Lagos com Futuro está mesmo com o futuro que iremos construir juntos e estamos disponíveis para colaborar. Fiquem bem, fiquem com saúde! Um BEM-HAJA!

Contactos:

Câmara Municipal de Lagos: Tel. 282 780 900; 282 771 700; 282 771 775 | E-mail: expediente.geral@cm-lagos.pt e site (www.cm-lagos.pt);

Junta Freguesia de S. Gonçalo de Lagos: www.jfsgoncalolagos.pt) facebook (www.facebook.com/www.jfsgoncalolagos.pt) Tel. (+351 282 763 827) email (geral@jfsgoncalolagos.pt)

Direção Geral de Saúde: (www.dgs.pt) e Tel. 808 24 24 24

  • PARTILHAR   

Outros Artigos