(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2022 - Projecto Águas Sem Fronteiras

Assembleia Municipal de Lagos saúda PCP pela passagem do seu Centenário

Assembleia Municipal de Lagos saúda PCP pela passagem do seu Centenário

A Assembleia Municipal de Lagos na 1.ª Reunião da sua Sessão Ordinária de Abril de 2021, realizada no dia 26 de Abril, aprovou, por unanimidade, uma Saudação pelo Centenário do Partido Comunista Português.

A Assembleia Municipal de Lagos, na sua Sessão de 26 de Abril de 2021, delibera:

1 – Saudar o Partido Comunista Português pela passagem do seu Centenário;

2 – Enviar a presente deliberação ao Partido Comunista Português;

3 – Dar conhecimento à Comunicação Social e divulgar na página electrónica desta Assembleia.

O Partido Comunista Português celebrou o seu 100.º aniversário no dia 6 de Março de 2021.

Com a implantação da ditadura resultante do 28 de Maio de 1926, o Partido Comunista Português foi ilegalizado, entrando na luta clandestina até ao derrube do fascismo em 25 de Abril de 1974. Como organização clandestina, o PCP exerceu a sua actividade de forma contínua, «mantendo uma dinâmica própria, organizando, unindo, fazendo uma oposição sem tréguas à ditadura e ao fascismo, mas nunca enjeitando formas de convergência com outras forças oposicionistas, demonstrando uma enorme capacidade de mobilização em que muitos militantes e simpatizantes se sacrificaram física, material e psicologicamente em prol de um ideal». Sofreram privações de toda a ordem, a prisão, descriminações, a tortura, levando alguns a sua dedicação ao partido e ao povo português até ao sacrifício da própria vida.

Os 48 anos de ditadura e de fascismo em Portugal deixaram profundas marcas na sociedade portuguesa, que alguns saudosistas procuram hoje branquear e obliterar. Mas a memória desse período negro da nossa história deve continuar viva, para que essa época nefasta e tenebrosa nunca mais se repita. Com a Revolução dos Cravos, o Partido Comunista Português assumiu, em Liberdade e em Democracia, o estatuto que lhe competia, como um dos partidos estruturantes da nossa Democracia, obtendo por isso o reconhecimento junto do povo, pelo seu papel na conquista dos direitos fundamentais e das igualdades sociais.

Homenagear o Partido Comunista Português, na passagem do centenário da sua fundação, é honrar a memória de todos aqueles que, lutando pela Liberdade, pela Democracia, pelos interesses dos trabalhadores e do povo em geral, dedicaram a sua vida aos ideais de progresso e de justiça. É homenagear todos aqueles que, ao longo de 100 anos de vida e de luta, em todos os momentos, por vezes nas mais duras e difíceis condições, asseguraram no passado a luta pela Liberdade e continuam, hoje em dia, a defender o nosso regime democrático com coerência, abnegação, coragem e determinação.

De entre eles, homenageia-se a memória dos lacobrigenses membros do PCP que sofreram prisão e tortura nas cadeias de Aljube, Caxias e Peniche e no Tarrafal:

Américo da Silva Pessanha;

Avelar de Sousa Ribeiro;

Francisco Caetano Barata;

Inácio Flor;

Joaquim Correia Robalo;

Joaquim Marreiros, morto no Tarrafal;

Luís Granito da Glória;

Marcelino José Dias;

Sebastião Cabral Valente.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos