(Z1) 2024 - CM de Aljezur - Aljezur Sempre
(Z4) 2024 - CM Lagos - Marchas Populares

Município de Albufeira associa-se, através do serviço municipal de proteção civil, ao dia internacional para a redução do risco de catástrofes

Município de Albufeira associa-se, através do serviço municipal de proteção civil, ao dia internacional para a redução do risco de catástrofes

A passada sexta-feira, dia 13 de outubro, foi dedicada, um pouco por todo o mundo, à celebração do Dia Internacional para a Redução do Risco de Catástrofes.

O Dia Internacional da Redução do Risco de Catástrofes foi instituído pelas Nações Unidas, a 13 de outubro de 1989, com o objetivo de sensibilizar governos, organizações e cidadãos de todo o mundo para a necessidade de implementarem políticas e desenvolverem ações que contribuam para prevenir riscos e reduzir vulnerabilidades, aumentando a resiliência das comunidades e a capacidade de antecipação e resposta face à ocorrência de acidentes graves ou catástrofes. A efeméride tem por objetivo colocar na agenda internacional, nacional e local, a temática da resiliência e dos impactos da catástrofe na atualidade. Partilhando dos referidos objetivos, o Município de Albufeira, através do Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC), assinalou a efeméride através da dinamização de um conjunto de iniciativas alusivas à data, subordinadas ao tema “Combater a desigualdade para um futuro resiliente”. Trata-se de promover o reconhecimento e a valorização da diversidade como oportunidade e fonte de aprendizagem para todos, no respeito pela multiculturalidade, a capacidade de comunicar e incentivar a interação social em caso de acidente grave ou catástrofe. Cláudia Guedelha, vereadora responsável pela Educação e Proteção Civil, destacou que “o concelho de Albufeira tem alunos provenientes de 70 nacionalidades, pelo que a diversidade cultural assume, nos dias de hoje, um papel fundamental em contexto educativo. As turmas são cada vez mais diversificadas, quer ao nível de etnias, religiões ou nacionalidades, razão pela qual é urgente refletir sobre o impacto que esta diversidade tem na aquisição do conhecimento sobre os riscos existentes nas nossas cidades”.

Do programa, destacamos a realização de uma peça de teatro, apresentada no auditório da EB1/JI de Vale de Pedras, dirigida aos alunos do 4º ano do 1º ciclo do Ensino Básico, intitulada "A Proteção dos Protegidos" que envolveu aproximadamente meio milhar de crianças. A iniciativa pretendeu sensibilizar os alunos e a comunidade escolar sobre como proceder em caso da ocorrência de catástrofes naturais (tempestades, sismos, incêndios, inundações e tsunamis, entre outras calamidades), educar para capacitar, combater a desigualdade através do conhecimento nas áreas de risco, a importância da inclusão da educação no âmbito dos riscos, contribuindo, desta forma, para uma sociedade menos desigual e mais resiliente.

A vereadora agradeceu a presença dos alunos, dos professores e auxiliares, dos elementos do grupo de teatro e dos funcionários do Serviço Municipal de Proteção Civil que deram o seu melhor para que este fosse um dia especial para a comunidade educativa. “Foi uma manhã muito significativa porque tiveram a oportunidade de aprender, através de uma peça de teatro, coisas sérias e muito importantes para a segurança de todos nós”. Ao dirigir-se aos mais pequeninos, Cláudia Guedelha reforçou a importância do esforço coletivo, de sermos uma sociedade mais informada, mais preparada, mais rápida na resolução dos problemas e mais resiliente.

Já o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, responsável máximo pelo SMPC, considera que “os acidentes graves e as catástrofes são uma ameaça constante à vida e aos bens das pessoas, daí ser tão importante aprender com os riscos e saber atuar de forma individual e coletiva para minimizar os seus impactos negativos. É imprescindível que crianças e adultos conheçam as normas de conduta e comportamentos de prevenção e autoproteção”, destaca José Carlos Rolo.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos