(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2021 - Concurso de Fotografia

Deputados do Partido Socialista pedem reabertura das termas «o mais rápido possível»

Deputados do Partido Socialista pedem reabertura das termas «o mais rápido possível»

Deputados socialistas na Assembleia da República questionaram esta quinta-feira, dia 18 de Março, a Ministra da Saúde, Marta Temido sobre a data prevista para reabertura dos estabelecimentos termais na sequência de estas unidades de Saúde terem ficado de fora do Plano de Desconfinamento e do decreto que regulamenta o Estado de Emergência.

Na pergunta endereçada, os deputados do Partido Socialista eleitos por distritos com unidades termais explicam que «para além de estarem já definidos pela Direcção-Geral de Saúde (DGS) a norma e os procedimentos para a retoma da actividade, as Termas estão na tutela do Ministério da Saúde, são regulados pela Entidade Reguladora da Saúde e são importantes unidades prestadoras de cuidados de Saúde».

Por este motivo, Luís Soares, Hortense Martins, Sónia Fertuzinhos, Francisco Rocha, Sara Velez, Susana Amador, Luís Graça, Susana Correia, Bruno Aragão e Cristina de Jesus consideram que «não se compreendem as razões para que os Estabelecimentos Termais não possam retomar a sua actividade e, tampouco, se tenha avaliado um calendário para a sua reabertura, no contexto do plano de desconfinamento».

Estes parlamentares pretendem, por isso, saber quais os motivos que presidiram à decisão de manter os estabelecimentos encerrados, questionando o Ministério da Saúde sobre a data prevista para a sua reabertura. «As Termas são unidades de saúde seguras, que cumprem todas as regras da DGS e são monitorizadas pelo Ministério da Saúde. É importante que as Termas possam reabrir tão rápido quanto possível», defendem os parlamentares do Partido Socialista.

Recorde-se que, de acordo com os dados do sector, em Portugal existem 42 estabelecimentos termais que prestam cuidados de Saúde a um número de clientes em crescimento desde 2015, depois de um período difícil vivido entre 2010 e 2015 em que as comparticipações pelo Serviço Nacional de Saúde foram suspensas.

A pandemia determinou o encerramento dos Estabelecimentos Termais durante a primeira vaga e, novamente, desde Dezembro. Os concessionários aguardam por indicações do Governo sobre o Plano para a reabertura deste importante sector de actividade, sobretudo nas regiões do interior.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos