(Z1) 2024 - CM de Vila do Bispo - Festival do Perceve
(Z4) 2024 - CM Lagos - Agenda de Eventos

Comunicado: Bloco de Esquerda do Algarve promove debate sobre a Palestina

Comunicado: Bloco de Esquerda do Algarve promove debate sobre a Palestina

A sede do Bloco de Esquerda em Faro acolheu este sábado, 11 de novembro, um debate sobre a situação política e humanitária na Palestina, com a presença de Alan Stoleroff, do ISCTE-IUL, e de Diogo Costa, do Comité de Solidariedade com a Palestina. 

A adesão e a participação do público refletiram a gravidade do momento atual, cujas repercussões não se limitam ao Médio Oriente. Entre a angústia e a esperança, partilhadas pelos dois oradores, a conversa percorreu os caminhos que nos trouxeram a este ponto crítico, nomeadamente as falsas promessas de soberania e independência nos territórios da Cisjordânia e de Gaza, a cumplicidade dos governos ocidentais ou o falhanço da implementação do direito internacional.
Se o cessar fogo e o fim dos massacres são os apelos mais imediatos e urgentes, foi consensual que os ciclos de violência só irão terminar com a construção de uma paz justa, estando esta dependente de uma resolução política. Neste campo, o papel da comunidade internacional é fundamental, tanto ao nível das lideranças políticas quanto da sociedade civil. Neste sentido, foi feito um apelo à cidadania ativa e à responsabilização individual.
A inação e a hipocrisia da maioria dos governos ocidentais perante tão flagrantes crimes de guerra contra toda uma população civil (já tão martirizada), arriscam-se a ser um decisivo golpe nas já desacreditadas democracias ocidentais e nas instituições internacionais, forjadas no rescaldo dos horrores da segunda guerra mundial. Com todos os defeitos e críticas que a estes organismos e tratados internacionais se possa fazer – e à inconsistência com que são aplicados – eles exprimem uma valiosa tentativa de fazer reger as relações internacionais por valores humanitários, pela diplomacia e pela cooperação. Se falharmos em atuar agora, podemos estar a comprometer seriamente, e a longo prazo, este sistema, sem que outras alternativas nos permitam vislumbrar futuros mais favoráveis.
É preciso reafirmar o nosso compromisso para com a liberdade dos povos, a justiça e os direitos humanos. E pôr fim ao esmagamento do povo palestiniano, com a retirada imediata dos territórios ilegalmente ocupados.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos