(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir

CCDR Algarve promove obras de beneficiação e conservação no edifício-sede em Faro

CCDR Algarve promove obras de beneficiação e conservação no edifício-sede em Faro

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) da Região do Algarve está a investir nas obras de beneficiação e conservação do seu edifício-sede, localizado no centro da cidade de Faro, no valor aproximado de 113 mil euros.

Tendo em vista garantir a manutenção das instalações da CCDR Algarve, os serviços procederam à verificação do estado do edifício sede e ao levantamento dos problemas que careciam de resolução imediata, sob pena de colocar em causa a conservação do edifício e o seu bom funcionamento.

Assim, está em curso uma empreitada que visa a execução de obras de beneficiação geral do edifício da sede da CCDR Algarve, a qual tem por finalidade a conservação geral do exterior do edifício e a reparação de elementos pontuais no interior.

Genericamente, esta empreitada prevê a realização dos trabalhos seguintes:

- Reparações e pinturas gerais no exterior do edifício;

- Impermeabilização de cobertura em terraço;

- Remoção de sistema anti pombos em todo o edifício e aplicação de novos sistemas

nas fachadas principais;

- Conservação geral e pontual no interior do edifício.

Já este ano, a CCDR Algarve promoveu outra empreitada que incluiu a substituição das luminárias existentes e a instalação de lâmpadas economizadoras e equipamentos automáticos nas zonas comuns, visando a melhoria das condições de iluminação e a redução dos consumos de energia elétrica, através de introdução de sistemas de eficiência energética, a qual teve o valor de 21 mil euros.

.

Um edifício com história

Ao longo dos anos, o edifício-sede da CCDR Algarve albergou a Junta Distrital da Província, criada pelo Estado Novo em 1936, a Junta Distrital de Faro (criada pela Lei n. º 2.100 de 29 de Agosto de 1959) extinta em 1976 para dar lugar à Assembleia Distrital de Faro, onde estavam representadas as autarquias eleitas naquele ano e que manteve atividade até 1991. Entretanto, é criada a Comissão de Coordenação Regional do Algarve em 21 de Dezembro de 1979 que, por sua vez foi refundida com a extinta Direcção Regional do Ambiente e Ordenamento do Território, originando a atual Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve em 2004.

O edifício, da autoria do arquiteto Jorge Oliveira, situa-se em local à época escolhido segundo as orientações políticas do Governo, em “Lugar mais capaz e central do Distrito”. Assim aproveitou-se um velho e degradado quarteirão para construir um novo edifício que rematasse com dignidade os eixos urbanos das ruas de Santo António, de Portugal e do Pé da Cruz.

Desenhado no âmbito da arquitetura então dominante, destacam-se vários elementos construtivos/ decorativos neoclássicos (as guarnições de vãos de pedra, mansarda com tapeíras, beirais de telha, cornijas, pináculos, entre outros) de palácios do barroco e do pombalino e, alguns regionais, como a açoteia e a platibanda.

Neste sentido, o arquitecto procurou criar uma imagem cenográfica que para além de representar o Poder do Estado na Região, pretendia “glorificar/homenagear as antigas raízes do Algarve”.

Trata-se um bom exemplo de fachada marcada pelo eixo de simetria onde se destaca pelo seu simbolismo a Grande Porta de Entrada, a Janela e Varandim de aclamação, o Porta-estandarte e o grande Brazão do Reino dos Algarves.

A partir deste eixo de simetria uma forte métrica de janelas hierarquizadas de acordo com o piso preenche as restantes fachadas dando uma escala e dominância visual que as restantes arquiteturas de acompanhamento urbano não possuíam.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos