(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2021 - Concurso de Fotografia

Bloco de Esquerda propõe criação de uma Administração de Portos de Pesca no Algarve

Bloco de Esquerda propõe criação de uma Administração de Portos de Pesca no Algarve

A pandemia colocou em evidência as fragilidades da região algarvia, por assentar na monocultura do turismo. Uma vez que o Algarve é dotado de ampla frente marítima, para o Bloco de Esquerda (BE) Algarve torna-se «fundamental» preservar e valorizar as suas estruturas portuárias, destinadas ao comércio, pesca e recreio.

Neste sentido, foi endereçada uma Recomendação ao Governo para a criação de uma Administração de Portos de Pesca no Algarve.

Nos finais de 2016, o anterior Governo anunciou a criação de uma nova entidade denominada “Portos do Algarve”, que iriam passar a ser geridos pelos 16 municípios que constituem a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), a Docapesca e a Administração dos Portos de Sines e dos Algarve (APS). O protocolo assinado, prevendo a criação da Comissão Instaladora da nova futura entidade, teria por missão apresentar uma proposta para «a criação de uma entidade de gestão, administração e exploração conjunta dos portos comerciais e de recreio da região do Algarve», ao que consta.

De acordo com o protocolo assinado, afigurava-se muito preocupante a intenção de transferir a gestão dos portos de pesca para a nova entidade a criar, denominada Portos do Algarve, e para os municípios: «É sabido que os municípios, além de não possuírem vocação para gerir portos comerciais ou de pesca, não dispõem de recursos humanos, materiais e financeiros para proceder à manutenção e ao investimento necessário das infra-estruturas marítimo-portuárias da região do Algarve», afirma o BE.

Segundo o partido, a Docapesca, enquanto entidade de capitais exclusivamente públicos e dependendo orçamentalmente da administração central do Estado deve, no entanto, ser dotada dos meios adequados para que se proceda à necessária requalificação, modernização e desenvolvimento dos portos de pesca algarvios.

Assim, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda propõe que a Assembleia da República recomende ao Governo que:

1. Proceda à criação da Administração dos Portos do Algarve, inteiramente pública, integrando os portos de pesca, comerciais e de recreio, assim como todas as infraestruturas portuárias marítimas e fluviais, de natureza comercial, de passageiros e de mercadorias, na região;

2. Concretize as obras de requalificação e de melhoria das acessibilidades e infra-estruturas marítimas dos portos de pesca e comerciais da região, com destaque para o porto comercial de Portimão, e impedindo a desactivação do porto comercial de Faro, mesmo que na sua área ribeirinha se estabeleçam outras valências;

3. Adquira um rebocador moderno para o porto comercial de Portimão, capaz de prestar assistência a navios de grandes dimensões e dotado de outras valências, a operar na zona marítima do Algarve;

4. Cumpra as Recomendações previstas nas Resoluções da Assembleia da República n.º 230/2018 e n.º 231/2018, de 6 de Agosto de 2018.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos