(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2021 - Concurso de Fotografia

Bloco de Esquerda Portimão exige que se apurem «todas as responsabilidades» na vacinação dos idosos do concelho

Bloco de Esquerda Portimão exige que se apurem «todas as responsabilidades» na vacinação dos idosos do concelho

Conforme veio a público, a vacina contra a Covid-19 foi administrada a várias pessoas do Centro de Apoio a Idosos de Portimão, as quais não se enquadram nos critérios desta primeira fase de vacinação por não se encontrarem em contacto directo com os utentes. Foi o que aconteceu com vários membros dos órgãos sociais deste centro – a todos foi oferecida a vacina, mas alguns recusaram – e com diversos elementos dos Serviços Administrativos. Entre as pessoas vacinadas encontram-se Ana Fazenda, Secretária da Assembleia-Geral, e Figueiredo Santos, Presidente da Direcção do mesmo centro e líder da bancada do PS na Assembleia Municipal de Portimão.

Segundo a Administração Regional de Saúde do Algarve, os critérios são claros: nesta primeira fase, por insuficiência de vacinas, não podem ser vacinadas pessoas que não lidem directamente com os utentes de risco, por não se encontrarem incluídas nos grupos prioritários.

O próprio secretário de Estado, Jorge Botelho, que coordena as medidas de combate à pandemia no Algarve, declarou que «a lei é clara em relação aos critérios de prioridade no que respeita à vacinação» e remeteu a situação para a abertura de um eventual inquérito. Têm ocorrido casos semelhantes ao longo do país, conduzindo até à demissão dos seus responsáveis.

São situações muito lamentáveis e com ~«uma grande falta de responsabilidade e de ética», na óptica do Bloco de Esquerda (BE) Portimão, especialmente, quando se sabe que «muitas pessoas de risco precisam de ser urgentemente vacinadas e que as vacinas não dão para toda a gente nesta fase». Mais acrescenta o grupo partidário que «os bombeiros de Portimão ainda não foram vacinados» e, visto que «lidam com o risco todos os dias», tal é «deveras incompreensível e revoltante».

«Não vale tudo, não pode vigorar o “salve-se quem puder”», adianta o partido de esquerda. O Presidente do Centro de Apoio a Idosos nega as acusações, afirmando que cumpriu com as regras definidas pelas Autoridades de Saúde. No entanto, recusa dizer quem foi vacinado. Neste sentido, o Bloco de Esquerda desafia o Presidente do Centro de Apoio a Idosos de Portimão a «divulgar, publicamente, a lista das pessoas vacinadas no referido centro», apontando ainda que «quem não deve, não teme».

Igualmente, o BE Portimão pede, com urgência, a Inspecção-Geral das Actividades de Saúde proceda à abertura de um inquérito à situação em causa para que «sejam apuradas todas as responsabilidades».

  • PARTILHAR   

Outros Artigos