(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2021 - Concurso de Fotografia

Autárquicas 2021: Eleger um vereador na Câmara Municipal de Vila do Bispo é aposta da CDU, que lamenta ter «faltado capacidade, vontade e audácia» nos últimos 12 anos de gestão socialista

Autárquicas 2021: Eleger um vereador na Câmara Municipal de Vila do Bispo é aposta da CDU, que lamenta ter «faltado capacidade, vontade e audácia» nos últimos 12 anos de gestão socialista

No anfiteatro ao ar livre localizado na Praça Tanegashima, em Vila do Bispo, a CDU juntou, no sábado, dia 10 de Julho de 2021, mais de duas dezenas de pessoas para assistirem à apresentação de alguns dos seus candidatos que lideram as listas a vários órgãos do concelho nas próximas eleições autárquicas. O jovem de 25 anos Alexandre Estradas, residente em Sagres, é o trunfo para o executivo municipal e não poupou críticas aos mandatos do PS, tendo dito o que é preciso mudar neste concelho da Costa Vicentina.

Numa altura em que ainda faltam os elementos que irão encabeçar as listas a duas freguesias – a de Barão de São Miguel e a de Vila do Bispo e Raposeira –, a Coligação Democrática Unitária (CDU), que integra o PCP – Partido Comunista Português, o PEV – Partido Ecologista "Os Verdes", a Intervenção Democrática e independentes, decidiu avançar, na tarde de sábado com a apresentação dos candidatos à presidência da Câmara e da Assembleia Municipal de Vila do Bispo, e das Assembleias de Freguesia de Sagres e Budens, deste concelho, nas eleições autárquicas que terão lugar a 26 de Setembro.

.

Mais de duas dezenas de pessoas, algumas delas oriundas de outros concelhos

O cenário escolhido foi o anfiteatro localizado numa área ajardinada da Praça Tanegashima, junto à Câmara Municipal de Vila do Bispo, onde a CDU conseguiu juntar mais de duas dezenas de pessoas (algumas delas oriundas de outros concelhos), sentadas e com máscaras, mas, na maioria dos casos, sem o distanciamento imposto pelas autoridades de saúde para prevenir a Covid-19. Bandeiras da CDU, amarelas, vermelhas, brancas e verdes, serviram para os participantes, muitos deles jovens, de ambos os sexos, neste encontro colorir e animar o ambiente numa tarde de calor, com algum vento à mistura.

Segundo apurou o Correio de Lagos, a falta de resposta da Câmara Municipal de Vila do Bispo ao pedido da CDU por causa da electricidade no local do comício poderá originar um protesto junto da Comissão Nacional de Eleições.

.

Henrique Vilallonga, mandatário da candidatura da CDU, aponta a “regionalização” como «factor de coesão e desenvolvimento do país»

Coube ao mandatário da candidatura da CDU, o sindicalista Henrique Vilallonga, abrir a sessão pelas 18:12 horas, com uma intervenção dirigida aos «autarcas, ao poder local» nestas eleições no concelho de Vila do Bispo. E numa altura em que o tema não tem sido abordado, lembrou que «a CDU quer a regionalização» como factor de «coesão e desenvolvimento do país». Ao insistir na defesa da «transparência nos serviços públicos», bem como numa «gestão com rigor e planeamento», com vista à procura de «soluções» para a população, o mandatário exigiu um «futuro de confiança» para «combater a desesperança».

«É preciso promover o gosto de viver», reforçou Henrique Vilallonga, lançando, nesse sentido, a aposta nos candidatos a autarcas da CDU neste concelho.

.

Os quatro candidatos apresentados neste comício

Pouco depois, entre aplausos, foram apresentadas as figuras que encabeçam as listas a vários órgãos do município de Vila do Bispo:

Assembleia de Freguesia de Sagres – Vasco Agostinho, de 25 anos, licenciado em Marketing pela Universidade da Beira Interior;

Assembleia de Freguesia de Budens – Ilídio Dias, de 66 anos, professor aposentado;

Assembleia Municipal de Vila do Bispo – Bruno Boaventura, de 26 anos, estudante de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, neto do antigo presidente da Câmara Municipal de Vila do Bispo, José Boaventura;

Câmara Municipal de Vila do Bispo – Alexandre Estradas, de 25 anos, empregado de balcão na Gelataria Alice, em Sagres, localidade onde reside. É licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Como já referimos, a CDU ainda não tem candidatos à Assembleia de Freguesia de Barão de São Miguel e à de Vila do Bispo e Raposeira. «Estamos a adiantar serviço», observou ao nosso jornal um elemento da Coligação Democrática Unitária, a propósito da apresentação, ainda incompleta, de candidatos neste concelho do Barlavento algarvio.

.

«O que tem faltado é, sim, a capacidade, a vontade e a audácia na gestão autárquica para fazer deste um melhor concelho para as suas gentes. (…) Convém não esquecer que é o PS que governa esta Câmara há 12 anos», acusa Alexandre Estradas

Pelas 18:20 horas., Alexandre Estradas, que encabeça a lista da CDU à presidência da Câmara Municipal de Vila do Bispo, concelho de onde é natural, leu o seu discurso durante quase dez minutos, num tom calmo e claro. «É sabido por todos, tanto pelos que cá vivem, como por quem cá passa, que não há o que falte a este concelho no que toca às suas condições naturais. O que tem faltado é, sim, a capacidade, a vontade e a audácia na gestão autárquica para fazer deste um melhor concelho para as suas gentes. E para isso é necessário reconhecer os problemas que estas enfrentam, que em alguns casos são resultado de décadas de uma visão e política central erradas para toda a região do Algarve, mas que também são resultado da falta de perspectiva na direcção do destino do concelho – e quanto a isto convém não esquecer que é o PS que governa esta Câmara há 12 anos», começou por dizer Alexandre Estradas.

.

«Criar um mercado de produtores locais, facilitar o acesso dos seus produtos ao consumidor e ao comércio local»

Em seguida, passou a enumerar os pontos em que a CDU aposta para o município de Vila do Bispo:

«Valorizar a produção local, lutando pelo melhoramento das condições do porto da Baleeira, o único porto de pesca do concelho, e por isso usado por todos os pescadores, armadores, mariscadores e demais profissionais locais que retiram do mar o seu sustento, sem lhes ser providenciado, em muitos casos, as mínimas condições. Criar um mercado de produtores locais, facilitar o acesso dos seus produtos ao consumidor e ao comércio local. Impulsionar o tecido produtivo e assumir a sua importância no concelho. Implementar ao nível autárquico políticas estratégicas que fomentem uma economia diversificada, na qual o turismo é complementado pela agricultura, a pesca, o artesanato e a pequena produção local, com isto apostando no combate à sazonalidade e criando emprego estável, de qualidade e com direitos».

.

«Neste concelho, o acesso a uma habitação própria não está longe de se tornar um luxo, ao invés de um direito»

Por outro lado, Alexandre Estradas assumiu que irá «enfrentar o problema da habitação, tomando medidas firmes e concretas para avançar na resolução deste que é um dos maiores problemas que enfrenta a população local». Nesse sentido, notou, «neste concelho, o acesso a uma habitação própria não está longe de se tornar um luxo, ao invés de um direito, como consagrado na nossa Constituição».

.

«Lutar para que o transporte público de qualidade, regular e acessível, seja uma realidade no concelho»

E continuou a apresentar as propostas da CDU, as quais passam por «apostar também na cultura, aumentando e diversificando a oferta de eventos culturais, bem como melhorar a sua divulgação, mas também proporcionar condições para a criação cultural no concelho. Apostar em sermos também criadores de cultura. Lutar para que o transporte público de qualidade, regular e acessível, seja uma realidade no concelho, para servir quer a população em geral, quer os jovens estudantes do secundário em particular, que são obrigados a usá-lo diariamente. E falando em estudantes, importante, também, é garantir condições em todas as escolas do concelho, para que as tarefas essenciais do estudar e do ensinar sejam feitas sempre nas devidas condições».

«Na área do desporto, cremos ser essencial aumentar o leque de modalidades desportivas oferecidas, criar melhores condições para a prática das modalidades já existentes, apostando na comunicação e parcerias com as associações», defendeu Alexandre Estradas, que também quer «condições para a actividade associativa no geral, que é uma importante criadora de dinamismo local e condição indispensável à participação de todos na vida do concelho».

«Fazer, na concretude, por fixar os jovens no concelho, criando condições para a sua estabilidade, qualidade de vida, de saúde e de emprego, e por melhorar sempre as condições de vida de quem cá está há já largos anos, ou de quem sempre fez deste concelho a sua casa», prometeu.

.

«O pagamento do complemento de penosidade e insalubridade, que começará em breve a ser uma realidade para bastantes trabalhadores do concelho, é marca da luta e propostas da CDU e do PCP. Tal como é marca do seu trabalho incansável, a contínua pressão exercida sobre o governo, com respeito às condições do porto da Baleeira»

Para Alexandre Estradas, «o exemplo da acção da CDU e do PCP são prova da sua capacidade de avançar na melhoria das condições de vida das populações». E apresentou casos: «O pagamento do complemento de penosidade e insalubridade, que começará em breve a ser uma realidade para bastantes trabalhadores do concelho, é marca da luta e propostas da CDU e do PCP. Tal como é marca do seu trabalho incansável, a contínua pressão exercida sobre o governo, com respeito às condições do porto da Baleeira, havendo já sido colocadas inúmeras questões respeitantes ao porto em Assembleia da República, por parte do Grupo Parlamentar do PCP».

«A estas provas dadas, poder-se-ia acrescentar outras tantas e mais se acrescentarão com o reforçar da CDU», observou este candidato à presidência da Câmara Municipal de Vila do Bispo. «E se há característica que nos é indissociável é a de que não nos furtamos à luta, e que estaremos, como sempre estivemos, continuamente, ao lado dos trabalhadores e da população local, seja qual for o resultado deste acto eleitoral. O muito que há ainda por fazer no concelho encontra nesta lista a vontade, a criatividade e o empenho para que seja feito», sublinhou, a certa altura, Alexandre Estradas na sua intervenção.

.

Um «grupo renovado, forte e decidido» com o «compromisso de ouvir sempre a população local e de a envolver na tarefa dos seus destinos»

Depois de referir que a CDU se apresenta a estas eleições autárquicas com «um grupo renovado, forte e decidido, do qual não poderá ser esperado menos que o trabalho, a honestidade e a competência necessárias às suas funções», Alexandre Estradas destacou, ainda, o facto de a lista que lidera ser «de todos os trabalhadores, dos jovens, dos reformados e pensionistas, dos pequenos e médios empresários, dos democratas e de todas as gentes deste concelho». E a concluir, garantiu, «acima de tudo, o compromisso de ouvir sempre a população local e de a envolver na tarefa da condução dos seus destinos, reforçando desse modo o poder local democrático».

.

«Nos últimos quatro anos não só diminuiu o escrutínio democrático à maioria absoluta do PS, como se acentuou uma política de "posso, quero e mando" em actos demagógicos e populistas» no concelho de Vila do Bispo, lamentou Tiago Raposo, da Direcção da Organização Regional do Algarve (DORAL) do PCP

Convidado para este comício foi Tiago Raposo, residente no concelho de Silves e membro da Direcção da Organização Regional do Algarve (DORAL) do PCP, que encabeçou a lista de candidatos a deputados da CDU pelo círculo eleitoral de Faro à Assembleia da República, nas últimas eleições legislativas, não tendo sido eleito. «Queremos e lutaremos por uma melhor limpeza urbana aqui no concelho de Vila do Bispo. Queremos e lutaremos por uma melhor prestação dos serviços de água e saneamento», sublinhou Tiago Raposo, acrescentando que a CDU lutará, também, por uma “cidade” neste município, «de todos e para todos». Ouviram-se aplausos.

«Nas últimas eleições autárquicas, é verdade que a CDU não teve representação no executivo municipal», com a Câmara a ser «governada com uma maioria do PS e composta por um elemento do PSD», lembrou aquele dirigente comunista. «Como dissemos na altura, foram as populações de Vila do Bispo que mais perderam com tal desfecho. Nos últimos quatro anos não só diminuiu o escrutínio democrático à maioria absoluta do PS, como se acentuou uma política de "posso, quero e mando" em actos demagógicos e populistas», para a «fotografia, sem apresentar projectos estruturantes para melhorar a vida das populações e das terras que compõem o concelho de Vila do Bispo», lamentou Tiago Raposo.

.

Os candidatos da CDU «não caíram aqui de paraquedas»

Por isso, «a eleição de um vereador da CDU não é apenas um objectivo, é uma possibilidade real», perspectivou, entre mais palmas da assistência. E ao enaltecer os candidatos da Coligação Democrática Unitária a vários órgãos autárquicos, agora apresentados em Vila do Bispo, sublinhou que «não caíram aqui de paraquedas».

Tiago Raposo destacou, ainda, vários sectores neste concelho da Costa Vicentina e no Algarve, desde o turismo e hotelaria, na qual «os trabalhadores são usados como mera mercadoria», à pesca, agricultura e saúde, entre outros. E pelas 18:41 horas, foi dada por encerrada esta sessão partidária, entre mais vivas às «gentes de Vila do Bispo, ao poder local democrático e à CDU», com animação e música à mistura.

.

Carlos Conceição

José Manuel Oliveira

  • PARTILHAR   

Outros Artigos