(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2022 - Projecto Águas Sem Fronteiras

Algarve com 80% de adesão na greve dos impostos

Algarve com 80% de adesão na greve dos impostos

     Em Faro, os trabalhadores da distrital de Faro do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI),  em sintonia com a greve nacional que decorre desde ontem e até ao próximo domingo, estiveram concentrados junto à Direcção de Finanças desta cidade. Para lá das reivindicações na base desta paralisação, a Distrital do STI pretendeu, desta forma, solidarizar- se com os colegas da Direcção de Finanças de Faro e alertar, uma vez mais, para a evidente degradação do edifício, assumidamente um dos mais degradados em termos nacionais.

Até às 13h00 de hoje, dia 2 de Dezembro, a greve do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) levou ao encerramento de mais de 70% dos serviços de Finanças e Aduaneiros em todo o País.

No Algarve esta adesão rondou os 80%, mais concretamente Aljezur, Vila do Bispo, Lagos, Portimão, Lagoa, Silves, Albufeira, Quarteira, Faro, São Brás de Alportel, Olhão, Tavira, Vila Real fecharam.

Loulé, Alcoutim, Monchique e Castro Marim funcionaram a menos de 30%. No Aeroporto de Faro, os trabalhadores aduaneiros da AT estão em serviços mínimos.

A distrital de Faro do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos tem mais uma concentração agendada para o próximo domingo, no Aeroporto de Faro, entre as 10h00 e as 12h00.

O STI representa todos os trabalhadores da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT). A greve, num total de cinco dias, começou ontem, feriado 1 de Dezembro, com os trabalhadores dos serviços aduaneiros. Hoje a greve alargou-se a todos os trabalhadores da AT, assim como amanhã.

Até ao próximo domingo os trabalhadores estão em protesto contra a crescente degradação do funcionamento da AT, a deficiente gestão de Recursos Humanos e a robotização das funções inspetivas.

A regulamentação do novo regime das Carreiras Especiais da Autoridade Tributária e Aduaneira, a abertura do concurso para a transição das carreiras subsistentes, a abertura de todos os procedimentos concursais anunciados em 2019, a conclusão dos concursos e mobilidades pendentes há mais de dois anos e o reforço dos quadros das carreiras especiais com a abertura do concurso externo são o mote para a greve convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos que congrega mais de oito mil trabalhadores da AT.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos