(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2024 - CM Lagos - Programa Vacinação Infantil

Doença Valvular Cardíaca na terceira idade: adie o prazo de validade do coração

Doença Valvular Cardíaca na terceira idade: adie o prazo de validade do coração

Artigo de Rui Campante Teles, coordenador nacional da iniciativa Valve For Life/Corações de Amanhã, da APIC

Mortal e mais frequente com a idade, a doença valvular cardíaca é ainda uma realidade que bate à porta quando menos esperamos, especialmente quando ignoramos que o envelhecimento exige o triplo dos cuidados no que diz respeito à manutenção da saúde.

Se quer garantir que prolonga o seu bater de coração e qualidade de vida, importa que esteja atento às formas de prevenção destes problemas que incidem nas quatro válvulas cardíacas - tricúspide, pulmonar, mitral e aórtica – responsáveis por regular o fluxo sanguíneo neste órgão. Com o passar dos anos e a influência de fatores como infeções, doenças cardiovasculares e hipertensão, estas válvulas vão deteriorando-se gradualmente, resultando em alterações perigosas nas suas funções.

Normalmente aparecem discretamente, de forma assintomática, mas vão começando a dar sinais através de alguns sintomas, nomeadamente a falta de ar, desconforto no peito, fadiga, tonturas, desmaios, palpitações ou batimentos cardíacos acelerados e inchaço, especialmente nas pernas. Deve ainda estar atento ao agravamento dos sintomas com a realização de atividades físicas mais intensas.

Se desconfia que está a identificar algum destes sintomas poderá estar em risco de desenvolver problemas como o enfarte agudo do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC), que podem ser relacionar-se com valvulopatias como a estenose aórtica, a doença valvular mais comum e que afeta cerca de 32 mil portugueses, a maioria já idosos.

Neste caso, a válvula aórtica, responsável por permitir que o sangue seja bombeado para a artéria aorta sem regressar, fica estreita e não abre completamente, prejudicando o transporte adequado do sangue para fora do coração. Por sinal, o seu tratamento exige uma mobilização multidisciplinar, que objetiva traçar a melhor forma de implementação de uma nova válvula cardíaca.

Outro problema que deve constituir um alerta vermelho das nossas preocupações é a insuficiência mitral, uma doença associada ao envelhecimento e que é mais frequente no sexo masculino, incidindo na válvula mitral, que permite a passagem do sangue da aurícula esquerda para o ventrículo esquerdo, um fenómeno que evita o refluxo sanguíneo.

Com o desenvolvimento de insuficiência mitral, ocorre o retomo de sangue e, como resultado, menor quantidade de sangue é bombeado para a circulação, causando o aumento da pressão nas veias pulmonares. Sem o devido acompanhamento, que se delineia de forma semelhante aos casos de estenose aórtica, existe a possibilidade de evoluir para insuficiência cardíaca, marcada por complicações como as arritmias.

Aproveite este dia para tomar medidas que evitem que o prazo de validade do seu coração seja encurtado. Adotar um estilo de vida saudável, com atividade física regular e realização consultas médicas periódicas é um atalho para contribuir para uma vida mais longa e saudável. Comece já a construir esse caminho!

  • PARTILHAR   

Outras Opiniões

: