(Z1) 2024 - CM de Aljezur - Aljezur Sempre

UNICEF Portugal divulga resultados da segunda edição do Tenho Voto na Matéria

UNICEF Portugal divulga resultados da segunda edição do Tenho Voto na Matéria

Hoje, no Dia Universal dos Direitos da Criança, a UNICEF Portugal apresenta os resultados da segunda edição do “Tenho Voto na Matéria”, uma iniciativa de auscultação das preocupações e necessidades das crianças e jovens que vivem em Portugal, com o objetivo de criar oportunidades de participação e influenciar decisões que afetam diretamente as suas vidas.

Desde o seu lançamento, em 2021, o “Tenho Voto na Matéria” evoluiu para uma iniciativa nacional de destaque, reunindo as ideias e visões de milhares de crianças e jovens em Portugal. O inquérito resulta de uma colaboração entre a UNICEF Portugal, o seu Grupo Consultivo de Crianças e Jovens e o Centro de Estudos e Sondagens de Opinião (CESOP) da Universidade Católica Portuguesa. O inquérito recolheu as opiniões de 11.834 crianças e jovens que vivem em Portugal, entre os 3 e 20 anos, sobre os temas que mais os preocupam e que requerem medidas e um esforço conjunto.

Beatriz Imperatori, Diretora Executiva da UNICEF Portugal, afirma: “A participação das crianças e jovens é essencial para construir comunidades justas, equitativas, seguras e sustentáveis. O «Tenho Voto na Matéria» vai para além de recolher preocupações; procura criar as bases para o diálogo e a co-responsabilidade, fortalecendo o sentido de pertença, a participação cívica e responsabilidade das crianças e jovens. Os resultados deste ano mostram-nos que continuam preocupadas com a saúde mental, a segurança e o ambiente, indicando que pouco mudou desde 2021.”

Os resultados revelam que 71% das crianças sentem que os adultos nunca ou raramente lhes perguntam a sua opinião, um valor semelhante ao de 2021 (76%). Além disso, 70% das crianças afirmam que a sua opinião nunca ou raramente teve impacto no que foi decidido, e 28% dizem que nunca deram a sua opinião.

As principais preocupações das crianças e jovens são a saúde mental (58%), a internet e redes sociais (44%) e a discriminação (42%), mantendo-se em linha com os resultados de 2021. A maioria (62%) das crianças e jovens considera que estes são os maiores problemas porque podem afetar o seu futuro e 45% pelo que assistem nas notícias ou na internet.

A maior parte das crianças discute estes temas em casa (62%), mas quase metade (48%) não fala sobre os mesmos na escola. Apesar de a maioria das crianças se sentir segura, com 73% das raparigas e 82% dos rapazes a afirmá-lo, a sensação de insegurança aumentou face a 2021. 1 em cada 4 raparigas (27%) não se sente segura.

O ambiente surge como uma prioridade para as crianças e jovens, com 42% a indicarem o cuidado com o ambiente como o principal aspeto a melhorar nas suas comunidades, seguido da qualidade das escolas (35%) e dos transportes públicos (28%).

As crianças identificam ainda a poluição (65%) como o principal problema ambiental que as afeta, e mais de um terço (38%) referem que a falta de educação ambiental tem um efeito direto nas mesmas.

A educação para a cidadania democrática e a participação ativa devem ser incorporadas na vida das crianças desde cedo, ajudando-as a entender como podem influenciar positivamente a sociedade. No Dia Universal dos Direitos da Criança, a UNICEF Portugal reforça a importância de capacitar as crianças e jovens, envolvendo-os ativamente em processos de codecisão e co-construção de comunidades mais justas e inclusivas para todos.

Para mais detalhes sobre os resultados completos do “Tenho Voto na Matéria”, consulte https://www.unicef.pt/tenhovotonamateria/.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos