(Z1) 2024 - CM de Aljezur - Aljezur Sempre

Travassos, Gouveia, Duarte e Cabral também vencem no Mundial de Veteranos

Travassos, Gouveia, Duarte e Cabral também vencem no Mundial de Veteranos

Seis portugueses na segunda ronda de singulares

Prova individual divide-se entre o Jamor e o CIF

Um dia depois de Vasco Graça e Nuno Mota, também Paulo Travassos, Luísa Gouveia, Deolinda Duarte e Paula Cabral entraram a vencer nos quadros principais de singulares do Campeonato do Mundo Individual de Veteranos que a Federação Portuguesa de Ténis organiza até 26 de agosto, com o apoio da Federação Internacional de Ténis, depois de já ter levado a cabo a competição por equipas.

Em pleno Court Central do Complexo Desportivo do Jamor, em Oeiras, Paulo Travassos entrou com o pé direito na competição individual de +60 ao assinar uma vitória por 6-0 e 6-3 sobre o francês Frederic Quelin.

A defender o estatuto de 27.º cabeça de série, o atual campeão nacional do escalão inferior discutirá a segunda ronda com Matthias Schmidt, da Alemanha, que superou o canadiano Chris Shay por 6-2 e 6-2.

Paulo Travassos é o único homem português apurado para a segunda ronda de singulares em +60, pois os restantes representantes nacionais que foram a jogo este domingo acabaram eliminados: Francisco Pita perdeu por 6-1 e 6-0 com o australiano Christopher Arms, José Pedro Roquette por 6-1 e 6-1 com o mexicano Salvador Garcia Villalobos (oitavo candidato ao título), Jorge Almeida por 7-5 e 7-6(3) com o canadiano Denis Dumas, José Carlos Ralheta por 6-1 e 6-0 com o nono candidato ao título, o australiano Bruce Ferguson, e João Parreira pelos parciais de 6-2 e 6-2 com o paraguaio José Sharon.

As restantes vitórias portuguesas do dia em singulares foram assinadas nos quadros femininos de +55 e +60.

No escalão mais novo, Paula Cabral não sentiu dificuldades em superar a indiana Poonam Sharma, por 6-1 e 6-2, e marcou encontro com Klaartje Van Baarle. A belga é a segunda cabeça de série e graças a esse estatuto ficou isenta da primeira ronda do quadro, que é de 64 jogadoras.

Menos jogos ainda cedeu Deolinda Duarte, que venceu a austríaca Birgit Jandl por 6-2 e 6-0 para agendar encontro com a francesa Sophie Orsini, 16.ª favorita e responsável pela eliminação da alemã Daniela Esswein por 6-2 e 6-1.

Maria Conceição Vinha (derrotada por Maria-Jose Olave com 6-0 e 6-2), Isabel Dias Carvalho (6-1 e 6-2 favoráveis a Ombretta Pinazza) e Paula Falcão (6-3 e 6-1 para a australiana Jill Meggs) não conseguiram seguir os passos das compatriotas.

Na prova de +60, a única tenista da casa a seguir em frente foi Luísa Gouveia, que precisou de três partidas, mas conseguiu agarrar-se ao estatuto de 14.ª cabeça de série e levou a melhor contra a britânica Debra Schmidt por 6-3, 5-7 e 7-6(3).

Desta forma, a portuguesa apurou-se para a segunda eliminatória e agendou encontro com Ingrid Nistl, da Áustria.

Maria José Rosa Justo Barata Inácio, Maria Duarte Ferreira, Anabela Carlos, Ann Fernandes, Maria do Carmo Santos e Ana Carlota Meirelles foram todas eliminadas nos encontros de estreia.

O único quadro onde não se celebraram triunfos lusos este domingo foi aquele onde, na véspera, Vasco Graça e Nuno Mota entraram da melhor forma na competição: o masculino de +55.

Isto porque Pedro Martins, o único a entrar em ação neste dia, não resistiu à maior experiência do britânico David Shann e perdeu por 6-3 e 6-1.

Dos seis tenistas portugueses ainda em prova nos quadros de singulares, apenas três — Mota, Graça e Travassos — entrarão em ação na segunda-feira, todos no Complexo Desportivo do Jamor.

Este é o terceiro ano em que a Federação Portuguesa de Ténis organiza o Campeonato do Mundo de Veteranos: em 2019 recebeu os escalões de +50, +55 e +60, em 2022 acolheu as provas de +30, +35, +40 e +45 e em 2023 as de +55 e +60.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos