(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir
(Z4) 2024 - CM Lagos - Arte Doce

Henrique Rocha nas meias-finais de singulares do Vale do Lobo Open I e na final de pares com o irmão

Henrique Rocha nas meias-finais de singulares do Vale do Lobo Open I e na final de pares com o irmão

Jaime Faria desistiu e facilitou a tarefa do amigo e irmãos Rocha numa final de pares pela primeira vez

Henrique Rocha voltou a superar uma jornada dupla e apurou-se para as meias-finais de singulares e para a final de pares — ao lado do irmão mais velho, Francisco Rocha — do primeiro de dois ITF M25 que a Federação Portuguesa de Ténis organiza, de forma consecutiva, na Vale do Lobo Tennis Academy.

Apenas seis dias depois de terem discutido a final do Campeonato Nacional Absoluto, Henrique Rocha (277.º ATP) e Jaime Faria (421.º) voltaram a estar frente a frente, mas o reencontro foi encurtado por uma lesão do lisboeta na perna esquerda.

À procura da primeira vitória do ano — e a nível profissional — contra o colega de treinos, parceiro de pares e melhor amigo, Faria só resistiu durante 40 minutos. Depois, quando o marcador já assinalava 6-1 e 2-1 a favor de Rocha, abdicou da conclusão devido às dificuldades de movimentação.

"O encontro de hoje podia ser mais difícil de gerir emocionalmente porque sabia que ele estava mal da perna, mas também sabia que se conseguisse ter uma boa entrada e começasse a dominar ele ia acabar por sentir mais a dor, porque quando se está por baixo as dúvidas são a primeira coisa que aparece”, reconheceu Rocha depois de ter entrado muito motivado e confiante perante um oponente que perdeu rapidamente a crença.

"Estou a sentir-me muito bem nestes campos e hoje fiz mais um bom encontro. Entrei a full nos dois sets e servi bem", acrescentou antes de fazer uma breve antevisão ao duelo de sexta-feira com Khumoyun Sultanov (425.º), o uzbeque que surpreendeu o segundo favorito, Lucas Poullain (248.º), ao fim de 3h05: “Nunca o tinha visto e hoje estive atento, a aproveitar para ficar com algumas digas. No início estava a jogar um ténis mais forte, mas no final adaptou-se mais ao ritmo do adversário. Pareceu-me um jogador bastante sólido, que pega bem de direita, mas também tem uma boa esquerda."

Henrique Rocha foi o único dois quatro portugueses em ação no quadro de singulares que conseguiu seguir para as meias-finais.

Para além de Jaime Faria, também Tiago Pereira (cedeu por 6-3 e 6-2 para o checo Hynek Barton) e Francisco Rocha (6-3 e 6-4 favoráveis ao belga Michael Geerts) ficaram pelo caminho num dia em que procuravam feitos inéditos — o algarvio perseguia as terceiras meias-finais individuais da carreira, mas primeiras na categoria M25, enquanto o portuense tentava mesmo desbravar caminho desconhecido.

A fechar a jornada, Henrique Rocha e Francisco Rocha voltaram a sorrir lado a lado ao carimbarem o apuramento para a final de pares.

Depois de conhecerem desfechos diferentes nos respetivos encontros individuais, os dois irmãos naturais da cidade do Porto rubricaram o terceiro triunfo da semana enquanto parceiros ao passarem pelos checos David Poljak e Matej Vocel com os parciais de 7-5 e 6-3.

A final de sábado será a primeira de Francisco Rocha (o mais velho, 24 anos) em torneios do circuito internacional, enquanto Henrique Rocha (19 anos) já figurou em várias decisões das duas variantes e em pares procurará o quarto título — venceu três este ano ao lado de Jaime Faria.

"Estou muito contente. Tenho de confessar que no final já estava a ficar mais tenso porque sabia que seria a minha primeira final, mas fica muito mais fácil quando tenho o Henrique ao meu lado. Tanto animicamente quanto em termos de ténis, é mais fácil jogar com ele porque conhecemo-nos e percebemos quando é que o outro está em baixo e torna-se muito mais fácil puxar para cima. Há muito mais entusiasmo do que nervosismo e por mim íamos já jogar", afirmou o mais velho dos dois irmãos entre vários sorrisos.

Marcada para não antes das 14 horas de sábado, a decisão do título será feita contra outra dupla da República Checa: Hynek Barton e Michal Lusovsky, responsáveis pelo afastamento de Peter Buldorini e Michael Geerts por 6-3 e 6-4.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos