(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Birdwatching
(Z4) 2021 - Reduzir o Desperdício

Arquitecto lacobrigense Mário Martins vence Prémios Architizer A+Awards 2021

Arquitecto lacobrigense Mário Martins vence Prémios Architizer A+Awards 2021

O jornal Correio de Lagos tornou público no dia 1 de Julho que o projecto "Casa das Freiras", do arquitecto lacobrigense Mário Martins, foi um dos finalistas seleccionados pelo júri no âmbito do prémio internacional A+Awards 2021" da plataforma Architizer. Já no dia 9 do mês em curso, eis que chega a fantástica notícia de que o projecto "Casa das Freiras" saiu vencedor.

Na hora da congratulação, o arquitecto deixou a seguinte mensagem: «É com enorme satisfação que anunciamos aos nossos clientes, parceiros e amigos que o nosso projecto "Casa das Freiras" é vencedor do prémio internacional de arquitectura A+ Awards 2021 Architizer, na categoria de “Private House”. Obrigado a todos pelo vosso precioso contributo. Este prémio é para todas as equipas, de projecto, construção, fotografia e vídeo. Continuamos a achar que sem bons clientes não há boa arquitectura. Um obrigado especial a estes».

Recorde-se que os prémios são promovidos a nível mundial pela plataforma online de divulgação de arquitetura Architizer A+, sediada em Nova Iorque; um dos maiores programas anuais de prémios com vista a divulgar projectos de arquitectura.

Os vencedores são distinguidos em dois galardões – o "Prémio do Júri", resultante das escolhas de um júri composto por nomes ilustres das áreas de arquitectura, design e artes, e o "Prémio Votação Popular", baseado nas escolhas do público que visita o site, numa audiência superior a 400 milhões de pessoas.

.

Equipas

Arquitectura – Mário Martins;
Colaboração – André Coutinho; Gonçalo Guimarães; Hélder Lima; José Furtado; Mariana Franco; Paulo Baptista; Rita Rocha; Sónia Fialho; So Yeon Lim; Thais Bressiani;
Especialidades – Nuno Grave Engenharia, HL Soluções e ZonaTérmica;
Arquitectura paisagista – F|C Arquitectura Paisagista;
Construtor – MAE, Marques Antunes Engenharia;
Fotografia – © Fernando Guerra, FG+SG;
Video – Building Pictures.

.

Sobre a "Casa das Freiras"

Área: 452 m²;
Ano: 2020;
Fotografias: Fernando Guerra | FG+SG;
Fabricantes: Saint-Gobain, Algarstone, AutoDesk, BRUMA, Cortizo, Fassa Bortolo, Impermeabilizações, JJ Teixeira, Jdias, Margres, Sanindusa, Weber
Arquitecto responsável: Mário Martins;
Equipa de projecto: André Coutinho, Mariana Franco, Rita Rocha, Sónia Fialho, José Furtado, Gonçalo Guimarães, So Yeon Lim, Thais Bressiani, Helder Lima;
Engenharia: Nuno Grave Engenharia;
Paisagismo: F|C Arquitectura Paisagista;
Construção: Marques Antunes Engenharia;
Cidade: Lagos.

.

A casa reconstrói-se de raiz, sobre um espaço desqualificado de uma oficina de automóveis. Um novo edifício surge atrás de um muro francamente maciço e poderoso, com mais de um metro de espessura, que comporta em si séculos e histórias de sucessivas ocupações e que vem cumprir o papel de frente de rua, atrás do qual se vive a ancestral tranquilidade de uma casa pátio, tão presente na envolvente, fruto de uma longa ocupação mourisca.

Numa zona mais reservada, alinham-se quatro quartos abertos para o jardim. Um pátio central constitui-se como charneira de acessos, de fonte de iluminação natural e, principalmente, como zona privilegiada para viver intensamente o espaço exterior.

A forma encontrada para evidenciar o carácter do muro, foi através da contrastante leveza pretendida da casa, que se esconde e procura abrigo atrás da força desse elemento. Daí que, amplos envidraçados sejam a ténue fronteira do interior da casa com o pátio ajardinado, porque a casa é tudo isso. São os quatro quartos, a ampla sala com cozinha, mas também os pequenos pátios recatados e o grande pátio ajardinado, organizado em torno da piscina.

O betão aparente reveste as poucas paredes que restam, para acentuar a sobriedade do edifício e conseguir a articulação dos revestimentos cinza, tal como a pedra natural nos pavimentos e o barramento de gesso nos tectos. O resto é paisagem urbana, construída por anos e anos de história, da qual esta intervenção será um mero trecho. Se conseguir adicionar-lhe algo de positivo, é porque a arquitectura está a cumprir o seu papel.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos