(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir

Solidariedade com o povo saarauí no Algarve

Solidariedade com o povo saarauí no Algarve

Realizaram-se, no dia 14 de Novembro, três iniciativas de apoio ao Povo Saaraui, promovidas pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação em parceria com o Município de Loulé, SPZS, USAL e Cineclube de Faro. Estas sessões contaram com a presença de Omar Mih, representante da Frente Polisário em Portugal.

As sessões realizadas inserem-se na actividade da "Educação e cultura para a Paz", que o CPPC tem promovido por todo o país, e tendo por base a CRP, nomeadamente o seu Artº 7º, onde se afirma, "Portugal reconhece o direito dos povos à autodeterminação e independência e ao desenvolvimento...".

A primeira sessão, foi realizada na Escola Secundária de Loulé, contou com a presença da sua directora, Drª. Renata Afonso e mais de 200 alunos e professores. Nesta sessão esteve ainda presente Afonso Dias, Cantautor, que, com outros artistas, participou na iniciativa "Um poema, uma música em apoio ao Povo Saaraiu". A segunda sessão, teve lugar na Casa Sindical de Faro, contou com a presença de vários dirigentes e activistas sindicais, da Coordenadora da União de Sindicatos do Algarve da CGTP-In, Catarina Marques, e de Luís Galrito que abrilhantou a sessão com um momento cultural. A terceira sessão, realizou-se em parceria com o Cineclube de Faro, com a presença de Rafael Lopes, da direcção do CCF, onde foi projectado o filme "Life is Waiting", filme que integrou o FISAHARA - Festival Internacional de Cinema que se realiza anualmente nos campos de refugiados Saarauis, no sul da Argélia, e foi seguido de um animado
momento de debate sobre as questões da sobrevivência, resistência e cultura do povo saaraui.

O CPPC reafirma ao povo Sarauí e à Frente Polisário – sua legítima representante – a sua solidariedade na luta pelo direito de viverem na sua pátria livre e soberana, condena veementemente o Reino de Marrocos pelo desrespeito pelas resoluções da ONU e pela violência e repressão sobre as populações sarauís e reafirma a exigência da libertação de
todos os presos políticos saarauís das cadeias marroquina. O CPPC exige da ONU e de outras Instâncias Internacionais que respeitem e façam respeitar o Direito internacional consubstanciado nas inúmeras Resoluções aprovadas pelas Nações Unidas e solicita ao Governo português e à Assembleia da República que, no respeito pelo artigo 7º da Constituição da República Portuguesa, intervenham ativamente para que os direitos inalienáveis do povo do Saara Ocidental a uma pátria livre, soberana e independente, sejam respeitados.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos