(Z1) 2022 - CM de Vila do Bispo - Birdwatching

Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos»

Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos»

Socialistas ignoram o anterior presidente da Câmara de Vila do Bispo, Adelino Soares, do Partido Socialista (PS), e apontam em Rute Silva, que o substituiu e agora se candidata ao cargo, como a pessoa «melhor preparada» para liderar o município nos próximos quatro anos.

À entrada do Pavilhão Multiusos, em Sagres, local escolhido pelo PS para o comício de apresentação dos candidatos aos órgãos autárquicos do concelho de Vila do Bispo, na noite de 18 de Setembro de 2021, uma apoiante do partido lançava gel desinfectante nas mãos das pessoas. No interior do edifício, a artista alemã Maya animava o ambiente musical com uma flauta. No palco, viam-se um outdoor e um ecrã com imagens de Rute Silva, candidata à presidência da Câmara Municipal de Vila do Bispo, sob o lema «Confiança e Dedicação». E a pouco e pouco, os participantes neste comício ocuparam as cadeiras colocadas no pavilhão, com máscaras de protecção e procurando respeitar distanciamentos devido à pandemia.

.

Mais de 120 pessoas, incluindo candidatos e militantes de outros concelhos do Algarve

No total, estavam mais de 120 pessoas, incluindo candidatos, militantes de outros concelhos, como Lagos e Aljezur, e convidados, nomeadamente a secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, os deputados na Assembleia da República eleitos pelo círculo de Faro, Jamila Madeira, Maria Joaquina Matos e Luís Graça, também presidente da Federação Regional do Algarve do PS, e o presidente da CCDRA – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, José Apolinário.

Atrás podiam ver-se, também, bandeiras do PS, que iam sendo entregues aos participantes no encontro para animar o ambiente, e exemplares do programa eleitoral, com os nomes e as imagens dos candidatos, transmitindo a ideia de boa organização. Calor humano foi o que não faltou.

Quem esteve ausente neste comício foi Adelino Soares, que em Maio de 2021, recorde-se, deixou a presidência da Câmara de Vila do Bispo, ao fim de 12 anos (não se podia recandidatar a novo mandato por ter cumprido o terceiro consecutivo) para ocupar o cargo de vogal do Conselho de Administração da Algar, empresa de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, com sede em Almancil, no concelho de Loulé. De resto, e numa altura em que são conhecidas polémicas entre Adelino Soares e os autarcas socialistas de Vila do Bispo, o ex-presidente até foi ignorado neste comício do partido em Sagres.

.

Luís Graça, presidente do PS/Algarve: «As mulheres fazem muita falta à política»

O presidente do PS/Algarve, Luís Graça, foi o primeiro a discursar e enalteceu desde logo «a disponibilidade de Rute Silva» nesta candidatura autárquica, num «agradecimento às mulheres». «As mulheres fazem muita falta à política (ouvem-se palmas)», reconheceu aquele dirigente partidário, destacando o facto de a secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, se ter deslocado desde a cidade espanhola de Vigo até Sagres, a fim de participar neste comício.

Sobre a candidata Rute Silva, disse que é «uma grande política». «Foi técnica superior da Câmara Municipal de Vila do Bispo, vice-presidente, agora presidente, e não há ponta de arrogância da sua parte. Continua a ser a mesma pessoa que quer servir a sua terra», elogiou Luís Graça.

Já o mandatário da campanha, José Luís Mateus, considerou que, entre os candidatos nesta corrida eleitoral, «Rute Silva é mais experiente para dirigir os destinos desta terra, com garantias e provas de estar capacitada».

Seguiu-se a apresentação dos candidatos às Assembleias de Freguesia do concelho – Budens, Sagres e União das Freguesias de Vila do Bispo e Raposeira. À de Barão de São Miguel, o PS não concorre.

Ana Custódio, de 45 anos, cabeça-de-lista em Budens, freguesia que, além desta localidade, abrange a Salema, Burgau e Vale de Boi, sintetizou: «Temos novas ideias e novos projectos». Agradeceu ao seu marido e filhos, «à minha família o apoio concedido nesta aposta política e considerou Rute Silva uma pessoa jovem, dinâmica e muito empreendedora», pedindo, por isso, «um voto de confiança dos eleitores do concelho».

.

Rui Carriço, candidato à Assembleia de Freguesia de Vila do Bispo e Raposeira: «A habitação é a nossa principal carência»

Por sua vez, o candidato socialista à Assembleia de Freguesia de Vila do Bispo e Raposeira, Rui Carriço, após referir ter tomado uma decisão «ponderada e reflectida» para abraçar este desafio, notou: «Não tenho muito jeito para a política, mas tenho a maior confiança na Rute Silva, que é muito humilde e a melhor preparada para presidente da Câmara». Lembrou que «a habitação é a nossa principal carência» e nesse sentido pediu ao Governo apoio financeiro da União Europeia.

«À Junta de Freguesia de Vila do Bispo e Raposeira não é dado o devido valor. As pessoas não vão à Junta de Freguesia, vão à Câmara Municipal para resolver os seus problemas», observou Rui Carriço, para quem o órgão autárquico a que agora se candidata «tem de ser de mais proximidade para com as pessoas». Quer ocupação dos tempos livres e que «o Verão volte a ser o Verão” nesta zona do concelho».

.

Fernando Santana, antigo presidente da Junta de Freguesia de Sagres, actual vereador da Câmara de Vila do Bispo e número dois da lista do PS: «Desafio aqui qualquer um de outras listas, se alguém tinha coragem de estar ligado durante 24 horas por dia e aparecerem pessoas a dizer que há um problema de água às 4:00 horas da manhã, o esgoto está cortado»

Pouco depois, pelas 22:12 horas, Fernando Santana, antigo presidente da Junta de Freguesia de Sagres, actual vereador da Câmara de Vila do Bispo e número dois da lista do PS, subiu ao palco, apresentado como «homem da rua», tendo falado de improviso durante mais de 15 minutos.

«É bom, é bonito, mas não é fácil. Dizem eles que se fosse fácil, não era para nós; que era para outros. Agora, o que nós queremos aqui é estar disponível para as pessoas», afirmou Fernando Santana.

«Depois, não basta dizer que é presidente de Câmara; não basta dizer eu quero ser presidente de Junta. Não. É preciso vencer e é preciso lutar para vencer», sublinhou, entre fortes aplausos e gritos de apoio no pavilhão. «Como todos sabem, fui durante 16 anos presidente de Junta [de Sagres]. No dia em que fui eleito, deixei de ser presidente de Junta do Partido Socialista, do PSD e da CDU», pelos quais concorreu em vários mandatos. «Passei a ser o presidente de todos os residentes da zona de Sagres. Foi isso que eu fiz. Trabalhei sempre em prol daqueles que residem aqui para que as coisas acontecessem, reforçou o autarca.

Fernando Santana lembrou que não foi fácil a adaptação como vereador da Câmara Municipal de Vila do Bispo, «para onde fui neste mandato, convidado da lista anterior, liderada por Adelino Soares. «Demorei algum tempo para me adaptar àquelas situações», reconheceu. «É diferente gerir 97 pessoas. Depois, é fácil complicar...», notou, apontando para a dificuldade em gerir a frota que está nos armazéns da Câmara. «Depois, são os problemas que aparecem todos os dias, depois é a máquina que se avaria, é um funcionário da recolha do lixo que falta e alguém o tem de substituir, é o problema da falta de água e é preciso chamar os bombeiros para que a água não falte às populações. E um vereador é o primeiro a ter de resolver o problema, encontrar soluções», descreveu Fernando Santana, que não vê «capacidade e vontade de lutar nesse sentido por outros candidatos».

«A amizade pessoal é a amizade pessoal. Na política não há amigos, há conhecidos. Os políticos têm de ser sérios (…) para trabalhar em prol da população», avisou, entre aplausos da assistência.

«Vamos ouvir por aí dizer que Rute Silva esteve 12 anos como vice-presidente», observou Fernando Santana, para quem «é preciso ter coração para aguentar 12 anos como vice-presidente de uma Câmara Municipal» (mais palmas).

«Uma Câmara é uma equipa, não é uma pessoa», disse, fazendo a comparação a filhos e pais. «Desafio aqui qualquer um de outras listas, se alguém tinha coragem de estar ligado durante 24 horas por dia e aparecerem pessoas a dizer que há um problema de água às 4.00 horas da manhã, o esgoto está cortado. Estou disponível para falarem sobre os assuntos que quiserem, não tenho problema nenhum», sublinhou.

.

«Não estou à espera de que o Partido Socialista me arranje emprego. Já tenho emprego na Docapesca»

A certa altura da sua intervenção neste comício, Fernando Santana deixou um recado interno: «Não estou à espera de que o Partido Socialista me arranje emprego. Já tenho emprego na Docapesca, em Sagres» (mais aplausos).

Reconheceu carências no concelho de Vila do Bispo, sobretudo «o abastecimento de água», sector em que «estamos mal servidos, ao nível do equipamento de Almádena para cá». «E temos urgência em resolver esse problema», lembrando a existência de uma candidatura já aprovada com fundos comunitários, em que «a obra tem de estar concluída até Novembro deste ano. E há outra a caminho», acrescentou, referindo-se a um projecto para o abastecimento de água no concelho.

.

«Há quatro meses em que a Rute está como presidente, já fizemos muita coisa que estava pendurada»

«Há quatro meses em que a Rute está como presidente, já fizemos muita coisa que estava pendurada», garantiu Fernando Santana, em jeito de recado a Adelino Soares. E sobre o parque infantil na escola de Sagres, em Vila do Bispo, Budens e Salema, deixou um aviso: «Se alguém disse que vai fazer, esqueçam, já está feito».

«Com a vontade que temos, iremos resolver os problemas. (…) Rute Silva está aberta ao diálogo e é capaz de resolver os problemas deste concelho», assegurou. «Depois de 12 anos como vereadora, é a pessoa mais bem preparada para ser presidente da Câmara Municipal de Vila do Bispo». E dirigindo-se ao candidato socialista à Freguesia de Sagres, André Pinheiro, deixou-lhe o recado para não ficar em casa, pois «é o primeiro a ter de resolver os problemas das pessoas», e pediu para «tratar todos por igual». «Temos de dar as mãos!» – apelou, ainda, Fernando Santana. «O meu telemóvel é o mesmo».

.

André Pinheiro: «É preciso dignificar a entrada da Freguesia de Sagres e acautelar a segurança na Estrada Nacional nº. 268»

Já pelas 22:30 horas, entrou no palco André Pinheiro, de 41 anos, técnico de manutenção, que lidera a lista do PS candidata à Assembleia de Freguesia de Sagres. Com ele, foram também apresentados elementos da sua equipa, tal como sucedeu com os candidatos das outras listas.

Prometeu «respeito e união e proximidade com a Câmara Municipal de Vila do Bispo» numa zona do concelho, onde reconheceu a existência de problemas, como o estado de degradação da Estrada Nacional nº. 268. «É preciso dignificar a entrada da Freguesia de Sagres e acautelar a segurança nesta via», apelou André Pinheiro, apontando ainda para a necessidade de arruamentos e condições de mobilidade noutras áreas. O candidato quer reabilitar a economia local, os acessos às praias e espaços verdes. «Há muito a fazer, mas mais do que levantar problemas, é preciso executá-los», notou, entre o apelo ao voto e elogios a Rute Silva, a pessoa «mais bem preparada» para a presidência da Câmara de Vila do Bispo; a Fernando Santana, pelo «trabalho na Junta de Freguesia de Sagres há anos»; e a Armindo Vicente, pela «dedicação e generosidade como provedor da Santa Casa da Misericórdia».

.

Armindo Vicente, candidato à Assembleia Municipal de Vila do Bispo: «Nunca pedi na política cargo nenhum, nunca pedi nada à instituição onde trabalho»

Armindo Vicente, de 46 anos, neste momento a exercer o cargo de vice-presidente da Câmara de Vila do Bispo (após a saída do presidente Adelino Soares), num discurso cheio de energia e emoção, quando subiu ao palco gritou: «Alegria! Alegria! Alegria!», enaltecendo esse espírito da autarca Rute Silva. «Esta campanha é feita de alegria, de energia e também de elevação», destacou Armindo Vicente, que aposta em «fazer o melhor pela nossa terra». «Sei também que as outras candidaturas têm gente muito válida, mas esta dá-nos confiança também da sua dedicação, da sua disponibilidade e da sua competência», afirmou, entre aplausos da assistência.

Por outro lado, apontou para o facto de o concelho de Vila do Bispo ser de «baixa densidade, que tem especificidades» que a Câmara tem de «acautelar», destacando nesse sentido, por exemplo, a necessidade de uma nova escola secundária. «E a Assembleia Municipal também tem de fazer demonstrar ao Governo os problemas, fazer pressão (…) e isso tem de ser acautelado», sublinhou Armindo Vicente, lembrando a descentralização de competências do poder central para as autarquias.

«Nunca pedi na política cargo nenhum, nunca pedi nada à instituição onde trabalho», garantiu Armindo Vicente, para quem «a generosidade» é o que o move na vida e agora nesta candidatura à Assembleia Municipal de Vila do Bispo.

Prometeu «disponibilidade à população, estar atento. A Assembleia e os políticos têm de ouvir o povo, têm de ser também a alma dos problemas do povo. Não são ocos. (…) E os grandes políticos que tivemos a nível de Portugal e no estrangeiro foram porque a população se revê neles», sublinhou Armindo Vicente, pedindo “humildade” a toda a equipa de candidatos, «ouvir as pessoas e resolver os problemas».

.

Na campanha eleitoral «não aceitamos dinheiro de ninguém, de ninguém. (…) Nada melhor que fazer com a prata da casa e fazer bem»

Lembrou, por outro lado, que o concelho de Vila do Bispo é considerado «o mais transparente» do país. «Transparência nos actos, de explicarmos à população o que é que nós estamos a fazer, como fazemos e apresentarmos as nossas contas. Por isso, nesta campanha e como princípio, vamos apresentar cada conta desta campanha, cada factura. Nós trabalhamos a nível de transparência, como queremos também trabalhar na Câmara Municipal. Se esta for a bitola, vocês podem contar sempre com o Armindo Vicente e com esta equipa», frisou, entre aplausos do público.

«Também quero dizer-vos que não aceitamos dinheiro de ninguém, de ninguém», assegurou o candidato, considerando «nada melhor que fazer com a prata da casa e fazer bem», referindo-se à campanha eleitoral. Seguiram-se mais aplausos.

.

«Não podemos estar quatro meses sem um computador a funcionar no Centro de Saúde e sem haver uma resposta para isso. Não podemos!»

Num comício com a presença da secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, e do presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, José Apolinário, Armindo Vicente aproveitou para deixar recados ao Governo. Na Assembleia Municipal de Vila do Bispo, «também vamos ter atenção ao cumprimento das obrigações do Estado, nomeadamente na saúde, nos transportes. Não podemos estar quatro meses sem um computador a funcionar no Centro de Saúde e sem haver uma resposta para isso. Não podemos! (ouvem-se fortes aplausos)».

.

«Tem de haver coerência nas decisões dos organismos, nas decisões do Estado sobre esta população»

Em relação a outros problemas, destacou o Plano Director Municipal de Vila do Bispo, que «é muito importante para o concelho, no âmbito da descentralização de competências do Estado. É algo muito importante para aqui, que é a inclusão legislativa dos órgãos actuando sobre o nosso território», apontou, referindo-se ao Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, cuja actuação muitos criticam a vários níveis nesta área do sul do país. Muitas vezes, os organismos têm de ser explicados à população», observou. E deu um exemplo na zona da Boca do Rio, onde à Câmara Municipal o Parque Natural não autorizou alcatrão na estrada ali existente. «Tivemos de fazer com a pedra xpto. Depois, veio o Polis [programa para reabilitação urbanística, gerido pelo Governo - n.d.r.] e fez de alcatrão até à praia. Isto não pode ser assim. Tem de haver coerência nas decisões dos organismos, nas decisões do Estado sobre esta população. Senão, não serão acatadas pela população e serão criticados sempre por essas incoerências. E nós estaremos disponíveis para representar a população sempre que isso não estiver acautelado. São estas as posições que devem ter estes organismos», defendeu Armindo Vicente.

O candidato à Assembleia Municipal de Vila do Bispo elogiou, neste mandato, pela «superação», o trabalho da presidente Ana Bela Martins, que agora deixa a política, e prometeu «dar expressão às geminações» que o município estabeleceu há anos com várias cidades do mundo.

.

Secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, e os 300 milhões de euros da “bazuca” europeia para o Algarve: «É preciso investir e fixar a população»

Já pelas 23:03 horas, foi a vez de tomar a palavra a secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, que, como já referimos, viajou de Vigo (Espanha) para Sagres, a fim de participar no comício do PS, tendo deixado elogios à candidata à Câmara de Vila do Bispo, Rute Silva, e ao “excelente grupo de trabalho”.

Posteriormente, ao referir-se à economia do mar, destacou a «reabilitação do porto da Baleeira e a lota de Sagres, além da necessidade de valorizar o emprego». Aquela responsável governamental apontou para a verba de 300 milhões de euros de fundos comunitários do Plano de Recuperação e Resiliência (a chamada ‘bazuca’ europeia) destinada ao “desenvolvimento sustentável da região” algarvia. «É preciso investir e fixar a população», afirmou Teresa Coelho. E aproveitou para enaltecer o papel das “mulheres à frente das autarquias”, em que «têm dado provas de rigor e transparência».

.

Rute Silva: «Não nos escondemos atrás de símbolos, nem nos escondemos atrás das duvidosas independências»

Pelas 23:15 horas, ouviu-se música, viram-se 16 bandeiras do PSD a desfraldar e o público de pé a “puxar” por Rute Silva, que se dirigiu para o palco com a sua equipa. Começou por evocar a memória do antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, recentemente falecido, o que, recorde-se, obrigou à suspensão da campanha eleitoral, e o símbolo de Sagres na epopeia dos Descobrimentos Marítimos.

Como já referimos, Rute Silva, que era vice-presidente da Câmara Municipal de Vila do Bispo, assumiu a presidência no dia 27 de Maio de 2021, na sequência da nomeação do então presidente, Adelino Soares (após três mandatos consecutivos, num total de 12 anos) para vogal do Conselho de Administração da Algar, empresa de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, com sede em Almancil, no concelho de Loulé. Desta forma, foi a primeira mulher a assumir a liderança do executivo camarário de Vila do Bispo.

.

«Avançar com um plano estratégico num concelho onde a habitação é o maior problema»

«Não faço promessas», disse Rute Silva, nesta candidatura à presidência da Câmara Municipal, apontando para a sua «dedicação e visão alargada para um projecto renovado, transparente e de futuro no concelho. Não nos escondemos atrás de símbolos, nem nos escondemos atrás das duvidosas independências», observou, com alguma ironia e entre aplausos, a candidata do PS, agradecendo “aos 81” elementos das listas, «pessoas dos 17 aos 87 anos de todo o concelho de Vila do Bispo».

«Queremos vencer com honestidade e transparência para dar continuidade ao trabalho desenvolvido, corrigir os problemas e avançar com um plano estratégico», reconhecendo nesse sentido a habitação como «o maior problema do município, a que se junta a necessidade de qualidade de vida, competitividade, ambiente e sustentabilidade».

.

Projectos para Sagres e a “bazuca financeira”, numa altura em que «não temos tempo a perder»

«É necessária habitação para quem aqui vive, de forma a fixar população, jovens», salientou. Perante a “bazuca financeira”, Rute Silva defendeu que «nos próximos anos não temos tempo a perder», apontando para a construção do Centro Escolar de Sagres, do novo Mercado Municipal nesta localidade, da requalificação da Estrada Nacional nº. 268, de jardins de infância, da instalação de placas de toponímica, da reabilitação das instalações da Rádio Naval de Sagres, entre outras prioridades. E lembrou, ainda, a Ecovia do Sudoeste, a abranger esta zona do concelho de Vila do Bispo.

.

«Meu grande Santana» e o apelo ao voto

Antes de concluir, Rute Silva voltou a agradecer à equipa de candidatos das freguesias do concelho e ao «meu grande Santana, o homem de todo o terreno», actual vereador do executivo camarário e nº. 2 da lista “rosa”. Já nas despedidas, apelou ao voto no próximo domingo, dia 26 de Setembro de 2021, enquanto que mais de 30 bandeiras do PS e música animavam o Pavilhão de Multiusos de Sagres, entre aplausos.

.

.

José Manuel Oliveira

Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1Autárquicas 2021: PS de Vila do Bispo exige dinheiro da "bazuca" da União Europeia para resolver o problema da habitação no concelho e diz que «na política não há amigos, há conhecidos» - 1
  • PARTILHAR   

Outros Artigos